José Jorge
Sassaroli, francamente... Esse José Jorge dispensa apresentações, né? Porque ninguém vai querer saber quem é. Cacete! Desse jeito, acho que vou começar a fumar maconha.
Dona Isaura

A história da dona Isaura é a seguinte. Meu pai, você sabe, é criminalista. Quando eu era criança, a sala de estar era muitas vezes usada, à noite, para receber clientes. Uma delas era a dona Isaura, que tinha um filho preso. Eu deveria ter uns oito, ou nove anos, pois foi na época em que eu resolvi criar coelhos angorás. Lembro-me bem dela, porque sempre me perguntava como iam os coelhos. Ela criava sozinha uma penca de filhos. Um deles, nós sempre encontrávamos no estádio Umberto Reale, do São Bento, vendendo paçoca e pé-de-moleque nas arquibancadas. Lembrei-me dela, Sassaroli, quando li a notícia daquela mulher que foi fusilada na porta de casa, de joelhos, só porque era mãe de um tal Capetinha que, não duvido, deve fazer jus ao codinome. Olhe, pode ser que essa mulher não tenha nada a ver com a dona Isaura, e pode ser que nem tenham sido policiais os que atiraram nessa mulher. Mas pode ser também que, movidos por um ódio profundamente humano, alguns policiais tenham resolvido ferir o Capetinha no corpo da mãe. Execuções sumárias são um erro. Mesmo que fosse o Capetinha. O problema, no caso, não seria ele; seria quem atira, que passa a acreditar que está acima da lei, e que pode fazer o que bem entende. Seria um desastre se, depois de anos civilizando a nossa polícia, fôssemos retroceder, agora, ao tempo da Rota e do cel. Erasmo Dias. Concordo que temos que abandonar de vez esse discurso baba-ovo do Estatuto do Menor e do Adolescente, que temos que ter um regime carcerário duro, abandonando de vez essa pretensão meio nazista de "reeducar o preso", e por aí vai. Mais ainda, tiro se responde com tiro. De preferência, para matar. Quem leva a mão ao coldre tem que estar preparado para levar bala. Não tem conversa. Mas a contrapartida tem que ser uma observância estrita da lei. Entrar no barraco, arrastar o cara para o matagal e executar é crime. O policial não é pago para fazer isso, nem pode pensar que está autorizado a fazê-lo. Se não for assim, é barbárie. E, para mergulharmos na barbárie, não precisamos de polícia. Basta o Marcola.

Antes da dona Isaura
Antes da dona Isaura, porém, uma constatação matinal. O Lembo deu um tiro na testa da candidatura Alckmin. Na do Serra, pegou no fígado. Duvido que sobreviva.
Pombas... Engoliu de novo....
Sassaroli, são 4:50 da matina, e este blog fdp acaba de engolir uma cartinha de meia hora que eu havia escrito para você. Antes que eu arrebente meu computador com um machado, vou dormir. Amanhã, reconto a história de dona Isaura, está bem? "Ademã", que eu vou de leve, como dizia o Ibrahim.
Nossa Mídia de Merda!

Meu velho amigo Perozzi,

Vou vomitar! Essa nossa imprensa em dá náuseas.

Hoje. vi o Tramontina, por quem até tenho simpatia, entrevistando o Saulo de Castro sobre a balbúrdia paulistana. O cara deu voltar para chegar onde nossa imprensa vabagunda sempre chega: será que a polícia não está matando gente inocente? Insistiu, insistiu. Nenhuma palavra, nenhuma mesmo, sobre os policiais e os civis mortos. É enojante, é de desumanidade ultrajante, não podemos voltar aos velhos caminhos de nos trouxeram até aqui.

Obviamente, que as coisas estão difíceis para o Saulo, mas apanhou e bateu. Mas foi lindo a quebrada de pernas que ele deu no Tramontina, que havia reclamado que ele tinha sumido na crise e que não dava entrevistas. O Secretário enumerou as entrevistas, esculhambou parte da imprensa que mostrava cenas das 5 da manha com a legenda 'ao vivo'  e disse que na segunda, na mesma hora em que o Lembro deu a entrevista para o Bonner no JN, ele deu um entrevista para um repórter da Globo que ele achava que ia ao ar no Jornal da Globo, mas que até hoje não apareceu. Deixou o Tramontina de calças curtas, foi lindo.

Na minha opinião, estamos vendo uma caça ao Saulo. A primeira jogada foi do bobo alegre Luis Nassif, que fez uma coluna violenta acusando Saulo pela morte dos policias, porque ele não teria repassado a informação do ataques. Hoje, ele disse que a informação foi repassada, que nem todos deram o crédito devido, que todos os policiais foram mortos em tocaias covardes e que todos os policiais civis mortos estavam de folga, foram pegos em absoluta surpresa. Sintomaticamente, Nasce contrapõe a figura de Saulo à de Nagashi Furokawa, responsável pelos presídios, dizendo que ele tem forte sólida visão jurídica. É um elogio meio solto, uma forma sorrateira de destacar um em oposição ao outro, que só estava levando porrada.

Mandei um email para Nassif dizendo que ele, como sempre, estava comprando uma versão plantada e perguntei o que um sujeito com sólida visão jurídica poderia fazer para resolver nosso problema crônico de segurança. Tendo mais o que fazer, ele não em respondeu. Nassif está fazendo o jogo da carolagem e do politicamente correto para detonar o Saulo.

Chamo Nassif de bobo alegre, pois perdi a conta dos furos que ele já deu, comprando histórias fantasiosas. Um exemplo: passou anos rasgando elogios ao orçamento participativo do PT gaúcho. Hoje sabemos que o que funcionava mesmo era o orçamento participativo não contabilizado. Se não em engano, ele também defendeu como normais os investimentos feitos por concessionárias de serviços públicos na Gamecorp do Lulinha. Conflito de interesses é coisa que o nobre jornalista descarta quando lhe convém. Sem falar na quebrada de perna que ele tomou do Diogo Mainardi quando levantou a propaganda feita por algumas empresas na Veja e Diogo devolveu detonando com ele. Macaco senta em cima de seu rabo e ...

Perozzi, sei que como bom jornalista, seu espírito corporativo o impele a evitar falar dos coleguinhas, sem esquecer que você gosta do Nassif, mas cada vez mais vejo nele um cara parcial e um grande mala.

Mais tarde, o Saulo apareceu na Globonews e foi entrevistado pela Pata Choca da Monica Waldvogel (se não for assim que se foda o mundo). A distinta jornalista, belas pernas por sinal, passou a entrevista preocupada com os inocentes que a polícia pode ter matado, com o exagero da polícia, etc. É aquela baba de ovo politicamente correta de sempre, eu odeio isso. Quase vomitei na TV. Que FDP, não perguntou uma coisinha sobe os policiais mortos, se há algum plano de ajuda, etc. Fico pesando o que o General Eisenhower responderia a ela se fosse questionado sobre alguns excessos cometidos por bombardeiros aliados sobre cidades alemãs. Vá para a puta que te pariu! Poderia ser uma resposta á altura.

Mas o Saulo deu um recado para ela que serve para toda a corja da imprensa, foi mais ou menos assim com meus excessos habituais: querida, você poder desprezar uma escola pública e pagar uma escola privada para seu filho, você desprezar um hospital público e pagar um plano de saúde que lhe de o melhor hospital particular, mas a hora que os bandidos chegarem você não terá escolha, só lhe restará ligar para o 190.

Amanhã, escrevo sobre a esquerda, a polícia e o estado, este nosso inimigo.

Frase de defeito: Brasil, devagarzinho a gente chega ao fim.

 

Saudações.

Argh!!!!

Tudo isso é absurdo, tudo está interligado. O PSDB foi incompetente para acabar com o PCC e para ganhar a batalha da opnião pública contra a igreja e as ONGs sanguessugas da miséria nacional. Essa gente precisa ser investigada. Tivéssemos trancafiado aquele cineasta que sustentou o Fernandinho Beira-Mar, ou sei lá quem foi, e as coisas começariam a mudar.

A esquerda em geral, mas sobretudo esta esquerda católica fascista e sem idéias, acredita que os bandidos são nossos heróis populares que desafiam a ordem estabelecida. Então, falta a estes pré-meliantes uma convivência com o que esta máfia representa. Daí que sugeri uma doação de bandidos do PCC a cada padre, carola e integrante de ONG.As ligações entre essa gente, aquela do Marcola e aquela das lonas de plástico são conhecidas, mas estamos no Brasil e ...

 

Acho que o Alkmin morreu nesta semana, um abraço para a sua candidatura. Só um milagre pode salvá-lo. A coisa foi muito bem montada pelos grupos de sempre. Todo ano de eleição tem revolta nos presídios. Neste não foi diferente. Quando vi nosso Guia Genial dizendo que ninguém pode ter a baixeza (justo ele que é mais baixo do que a bosta que saiu do cú da cobra) de misturar o drama de S. Paulo com eleições saquei na hora que a senha era exatamente o oposto, ele ia usar isso com muita habilidade. Mandou o ministro até aqui só para expor ainda mais o governo do Estado, eu o teria recebido do lado de fora do prtão do Palácio, certas pessoas não se deve colocar para dentro de casa.Hoje, o senador bigodudo saiu atacando e o bacharelesco jagunço de bombacha (o verdadeiro Rolando Lero) mandou ver. Ninguém teria a baixeza do que mesmo?

Isso, mais a fenomenal cagada, literalmente, da negociação, sacramentou o fim da ambições do Chuchu. O esquema foi complexo e completo, basta ver que até o Bonner no JN ficou enparedando o Lembo para ele se explicar por que S. Paulo não aceitava ajuda federal. Como se o Gov. Federal tivesse alguma a coisa a dar. Tem lá uma Guarda Nacional formada às pressas com caras de todos os estados, que em geral vieram de outros estado para treinar nas polícias de S. Paulo. Em várias eleições tivemos o mesmo esquema, mas ficava na rebelião dos presídios, só que desta vez estamos falando de ganhar ou perder Brasília. Como o mensalão mostrou, o bolo é gordo.

 Nosso mal é que nossa direita e nossa esquerda são umas merdas. Enquanto esta torna heróis nossos bandidos das classes baixas, aquele endeusa os ladrões da classe alta. Afinal, o que é o Amaury Junior entrevistando o Maluf com ar de eu te adoro Dr. Paulo?

 

Vou me embora pra Pasárdaga

Lá sou amigo do Marcola

Lá verei a Copa do Mundo na TV de LCD

Comendo hamburger e tomando Coca Cola

Lá vou passar a vida só pensando quem fudê

That’s all folks! 

Troca-troca com Marcola

Absurdo, mesmo, Sassaroli, é essa negociação do fim dos ataques com o Marcola. Um avião (pago com nosso dinheiro) levou dois agentes do Estado (pagos com nosso dinheiro) para uma reunião de negócios com o "capo". Ele prometeu que pararia de assassinar policiais, caso o governo permitisse a ele e a seus comparsas assistirem aos jogos da Copa em TV de plasma. É um insulto. Eu não consigo acreditar que chegamos a este ponto, Sassaroli. Estou a um passo de malufar.

Brasil:um país de bundões.

(Continuando)

Todos esta esquerda fascista que vê na pobreza a mão de Deus e no povo pobre a sua voz profética, é assim que eles se referem aos pobres, são simplemente os vampiros da pobreza, sem ela eles não vivem, daí que defendem o atraso. É gente recalcada com seríssimas frustações pessoais, que odeia a idéia de algo que dá certo. Mas quando podem mamam na teda do Estado como esfomeados, os exemplos abundam, já que estamos falando de bundões.

 

Essa gente domina a mentalidade governamental e da mídia, só aceitam que se passe a mão na cabeça de bandidos, invertem completamente os valores de uma sociedade. Lembro-me de uma antropóloga na TV dizendo que era contra mandar Fernadinho Beira-Mar para Presidente Bernardes porque isso o transformava num animal. Uai, o que ele é? Ela tinha uma cara de ainda não ter descoberto o orgasmo, este calmante natural humano, embora deva acreditar que o propólis é um antibiótico natural.

 

 

Outro exemplo: o deputado Greenhalgh ao sair do interrogatório do rapaz que assassinou o Prefeito Celso Daniel disse: a sociedade precisa discutir o que fizemos para produzir uma pessoa tão fria e violenta. Opa!!! Dá um tempo, pago meus impostos, voto em bons políticos, o que exclui o citado, etc e tal.

O que Lula fez com Evo? Admitiu que a Bolívia era pobre e que portanto, mesmo diante de um roubo que atinge todos os brasileiros, decidiu que tínhamos que ser carinhosos. A fonte de todas estas atitudes é essa mentalidade cristã de araque.

 

Esses bundões do PSDB de São Paulo ficaram uma década passando a mão na cabeça dos líderes do PCC, hoje testão na mão dos bandidos. Bem feito. Incompetentes!

 

Pelo que sei, o Secretário Saulo fez bom trabalho, a violência diminuiu, e quando pegou pesado no episódio Castelinho, o mundo caiu sobre ele. Nunca mais se viu a polícia operando pesado contra o PCC. Crédito para o lobby da carolagem (Bicudos, Dalaris, Bettos e seus Boffs).

 

Para acabar, proponho doar um preso de alta periculosidade para todo padre, carola e integrante de ONG, o sujeito tem um ano para ressocializar o meliante. Ah, isso seria uma sacanagem quintetiana das boas.

 

Boa tarde, frei Betto, aqui está o Cabeção, ele é o número dois do PCC em São Paulo, V. Ex. receberá mil reais por mês para ressocializar este proto-cidadão. Mas lembre-se,  se depois de um ano V. Ex. não tiver sucesso devolve o meliante e a grana.

 

À merda toda essa gente!!!!

 

 

Brasil: um país de bundões.

O Haiti é aqui!!!!

 

Todos pensando que o Brasil fosse uma típica república das bananas e descobrimos nestas últimas duas semanas que isso é uma meia-verdade.

 

Na verdade, o Brasil é um país de bananas. É um babananão maior que o outro, e temos às pencas.

 

No Brasil, com pouquíssimas exceções,autoridade é sinônimo de bundão, palerma, boco moco, xarope, trouxa, corno manso e por aí vamos. E por que será?

 

O nosso problema central é essa maldita esquerda católica, que espero arda todinha no inferno por suas pederastias sociológicas e históricas, ao menos por estas, que domina a mentalidade média do poder neste país. Esta corja de padrecos e carolas, comandados pela cópula da teologia da libertação, esse impulhação teológico-escatológica de quinta categoria, espalhou por todo lado o sentimento de culpa, que é sensação generalizada em nossa sociedade. O que faz a canalha boffiana? Simples, incute no cidadão honesto e trabalhador a consciência de culpa pelo resultado de seu próprio trabalho, de seu próprio esforço.

 

Você tem, meu filho, mas olha quantos à sua volta não tem!

 

Trata-se de um cristianismo que, misturado com marxismo, deu numa coisa manipuladora, preconceituosa, maniqueísta. São anti-capitalistas, anti-democráticos e anti-científicos. Felicidade para essa gente é a pobreza, a sociedade retrógrada e ignorante. São so saguessugas da pobreza.

 

Na mesma linha, estão estas ONGs que tomam dinheiro do Estado para armar contra ele próprio, como tem ocorrido na Febem, que registra rebeliões coinncidentemente depois da visita de certas ONGs.

 

(Continua que minha raiva é grande hoje.)

 

Bota o vaso na mesa
Xi, rapaz... Logo agora, que estamos com este papo de bêbado, o Juliano vem nos visitar. Vai pentear o cabelo, Sassaroli. E veja se escova os dentes, que está com bafo de vômito.
Resgate

Prof. Sassaroli, informamos que seu amigo Perozzi está em nosso poder. Hoje à noite, aquilo que o Perozzi chama de "carro" será deixado em frente à sua residência, com o porta-malas aberto. Coloque ali discretamente duas caixas desse vinho que você anda bebendo, e entre novamente em seu prédio, sem olhar para trás. Seu amigo será libertado logo em seguida. Se não seguir as instruções, ele morre. PCC (Associazione "Pizza, Chianti & Calabresa")

De porre!!

Perozzi, Perozzino

Estou de porre desde ontem, comprei uns vinhos, arrumei uns leitos vazios, convoquei umas enfermeiras bem cuidadosas e estamos fazendo uma suruba de dia das mães desde ontem. Quem sabe uma delas não vira mãe. Portanto, estou incapacitado de falar de assuntos sérios, de porre eu acabaria tratando as coisas com a seriedade que elas merecem, coisa que nem mesmo eu mereço.

 

[ ver mensagens anteriores ]