Cara consulente...

Uma consulente nos escreve perguntando a respeito da aparente contradição entre a essência quíntupla de nosso quinteto e sua existência dúplice. Parece complicado, mas é bem simples. Eu e Sassaroli somos esquizofrênicos. Cada um de nós tem duas personalidades. Neste momento, por exemplo, a voz que fala em mim é a de um pacato professor que, entre um teorema e outro, resolve dar os seus pitacos neste blog. É ele (eu?) também o responsável pela seção Literatura de Banheiro, onde tem (tenho?) a oportunidade de compartilhar nacos de minha vasta erudição com a torcida do Bangu, que nos acompanha. Sempre que a Lua está em Júpiter, porém, uma outra voz colore alguém em mim, como diria o vate. Convenço-me de que sou uma espécie de avatar de Casemiro de Abreu, sapecando as Quadrinhas ao Gosto Popular, que têm feito razoável sucesso junto ao público menos instruído. O professor, quando as lê, franze o cenho, para não dizer que morre (morro?) de vergonha. Mas não há o que fazer. A primeira coisa que um esquizofrênico tem que aprender é a ser tolerante com os outros habitantes do condomínio.

Consolo-me com Sassaroli, para quem a vida tem sido ainda mais madrasta. Analista financeiro respeitável, desses que almoçam com a gravata jogada sobre o ombro, é obrigado a conviver com um palmeirense chulo que, sem nenhuma esperança de vencer pelo talento, tornou-se adepto do futebol de resultados. Sua filosofia é simples, e pode ser resumida numa só máxima: "Pouco importa se estamos na primeira, ou na segunda divisão. O importante é ganhar."

Seríamos, como você pode ver, cara consulente, um quarteto, não fosse por uma circunstância singular, ocorrida no início deste ano. Sassaroli, que já era esquizofrênico, começou a manifestar sinais inequívocos de mediunidade. No início, pensamos que seria apenas mais uma personalidade, fato assimilável pela ciência psicanalítica, mas logo percebemos que a coisa tinha um cheirinho inequívoco de terreiro. Ele passou a receber o espírito de uma pomba-gira que atende pelo nome de Shirley (pronuncia-se "chirlêi"). Caso inédito no mundo dos orixás, pelo que ficamos sabendo, Shirley é uma pomba-gira homossexual. Com dois rabos-de-galo na cabeça, seria capaz de beliscar a bunda da Madre Tereza de Calcutá. Resolvemos, então, que o que fora concedido ao domínio natural das patologias, não deveria ser negado ao sobrenatural, e formamos um quinteto. Por uma questão de comodidade, mantivemos nossos nomes de batismo nos diversos posts.

Pelo interesse antropológico que isso possa ter, resolvi colar aí em cima uma foto de Sassaroli (Shiley?) durante o transe.

Dize-me com quem andas...

Bárbara Gancia... Bárbara Gancia, Sassaroli!

Saudades do tempo em que seu herói era o Reynaldão...

Enfermeira Padrão

Enfermeira Instrumentadora Padrão de Junho/06.

Quero ser hospitalizado, doutor!

Bárbara Barbara

  

Sassarolli, sozinho, macambúzio e cheio de razão.

Perozzi,

Já não estou sozinho neste mundo pró-Parreira. Vai aí o link (como pede o Pinto, aquele folgado do caralho) do artigo dela.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2306200604.htm

Basicamente, ela diz que ele sabe e nóis só dá parpite.

Beso, Compañero!

 

Sassa, agora, muito bem acompanhado pelas suas Bárbaras na defesa das calças justas.

Again e de novo, velho.

A Brrruuuuxa gay em sua vassoura preferida.

Perozzi,

Você tá ficando velho e carcomido. Bateu uma punheta, duas horas depois esqueceu?

Bate outra, velho, que a memória refresca.

Dica: se der para terceirizar a tarefa, fica bem melhor.

Cia, belo.

Ludopédio e onanismo

 

Ontem, acertando, Parreira provou que estava errado. Não fazia o menor sentido pôr em campo os principais jogadores da Copa de 2002, quando os reservas estavam muito melhores. Era teimosia pura. Ideologia, no sentido mais amplo da palavra: cegueira para os fatos, conceitos boiando no vazio. Jogamos bonito, e ganhamos de forma consistente. Jazzista dificilmente irá tocar bem um repertório clássico, e vice-versa. As competências são outras, o percurso é outro. Temos que fazer aquilo que sabemos fazer bem: o futebol moleque de Ronaldinho Gaúcho, de Robinho, e do próprio Ronaldo, quando não está despirocado. Ontem, deu gosto assistir àquele jogo. Continuará sendo uma delícia daqui a dez anos. Como todo mundo, também vibrei com a vitória em 2002. Mas vencer daquele jeito é como bater uma punheta: você goza, mas dali a duas horas já nem se lembra do que aconteceu.

Seu ídolo também

Pronto, fica tranquilo que ele também se lembrou de você.

 

From Germany Hotel, to Perozzi with love.

 

Ps: hoje estou com o capeta. Saí satanás!

Seu problema Perozzi é que dorme com as galinhas. Fico eu aqui conspirando até 2 da matina e ainda vou levantar antes de você.

 

Mas não fique bravo com minha produção de hoje. Só para você se acalmar com as notícias ruins da seleção (titulares contra Gana), vai aqui um beijo carinhoso.

 

Ciao, belo.

 

Beiju pu cê, tio Perozzi.

 

Reinaldo de Barros

Perozzi na Cozinha. Va bene!

 

 

Aprendi com o gênio filosófico de Reinaldo de Barros que “uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”.

 

Copa do mundo é competição, vale quem ganha, fica pra história quem ganha. A Holanda deu show em 74, deu, mas eles prefereriam a Copa ao invés da fama. Tenha a certeza disso. Brasil 1982, idem. Hungria 1954, idem. Até o Juca Kfouri confessou que pensava como você e na Copa de 1994 ficou maluco com aquela vitória nos pênaltis. Copa perdeu a chance, bye, bye Brazil.

 

Já um prato ruim, posso recusar, pedir outro, dar um cacete no garçon e no cozinheiro, quebrar o restaurante, o maitre e o dono, ir no da frente. No restaurante eu posso voltar atrás, na Copa, não hpa sgudna chance. E dentro ou fora, senão só depois de quatro anos.

 

Reinaldão faz sua clássica conferência sobre a dualidade ontológica do ser

Ronaldinho chegou ao Hotel

Eu sei que vou chegar!

 

Perozzi, fique mais tranquilo. Ronaldinho Gaúcho já chegou ao hotel e está tomando aquele banho. Não demora muito, 15 dias talvez, e ele entra na Copa.

 

 

A Gente somos divino

Valderama

 

Divino quem cara pálida?

 

Perozzi, você não tem cura. Então, nós só queremos continuar divinos? Quêêê Buuuniiiito, mas é só a gente perder umas três copas, dar uns fiascos caprichados, que você vai ver que nossa divindade é pura vai por beleléu. Vão dizer que o Brasil já era, ficamos decadentes, um abraço.

 

Tá lembrado da Colômbia de 1994. Era divina, dava show mundo afora, encantava deus e o diabo. M a r a v i l h o s a!!! Virou o fio, tomou um cacete, sumiu. Você se lembra dela. Necas. Só do cabeludo Valderama.

 

Competição foi feita para se ganhar, pode dar o maior show da terra, se não levar ninguém vai falar de você. Felipão está na Europa por que ganhou a Copa ou por que deu show? Vê se alguém contratou o Maturana da Colômbia.

 

Divindade é com a bispa Sônia, meu velho. Aliás, dá um caldo divino ela.

 

Ou seja, ao Valderama so resta mesmo a

 

 

Aí ele ficou assim:

 

 

Ambições

Quem quer ser campeão a qualquer custo, Sassaroli, é A República Tcheca. Nós só queremos continuar sendo divinos.

Eu odeio o Galvão Bueno!

Gourmet de resultados

A única cena que ficou

Se um dia você encontrar uma barata na sopa, Sassaroli, é bem capaz de ficar contente da vida, alegando que a coisa mais importante num jantar é acabar com a sua vontade de comer.

Parreira é malllll

A Bad Man

 

Reconhecido por ser um homem mal, muito mal. C.A. Parreira deu hoje um gostinho à torcida perozziana, aquela que quer show acima de tudo. Agora que vocês estão mais sedentos do nunca por um futebol muleque...

C.A. Parreira deve escalar o mesmo time de sempre. Eu adoro, porque tanto faz, desde que ganhe. Se não ganhar, ruim, mas não é nenhuma tragédia. E tem uma vantagem, não teremos que agüentar nine fingers dizer:

 - Nunca neste pais, em kinhentos anus de istória, este paiz foi ékiça.

 

Il capo di capi, capice?

Cavalo dado...

Olha o Perozzi em último, sempre no cavalo errado!

14 Gols em Copa

Ronaldo, o fenômeno, olhando para frente depois de hoje.

Perozzi, hoje tô que tô.

 

E eis que Galvão disse: ninguéééééemmmmm à frente de RRRRRRRRonallllllllldo, 14 gols em copa, puuuuuuuuta que pariuuuuuuuu, cooooomo ele boooommm!Agüeeeenta coração!

 

 

Só falta um, diria o grande Zagalo.

 

E Perozzi se emputece.

 

Gaúcho Localizado

Confirmado, Gaúcho estava no Campo. Perozzi, está certo!

Extra! Extra! Extra!

Ronaldinho está chegando, agüenta Perozzi.

Ah, tá, agora entendi!

LUFTHANSA INFORMER

Atenção, senhores torcedores.

 

A Lufthansa avisa que o avião trazendo Ronaldinho Gaúcho finalmente está chegando à Alemanha. É só liberar as bagagens e passar pela aduana que ele começa a jogar.

 

Perozito, bêbado como sempre, conseguiu identificar Ronaldinho Gaúcho na partida contra o Japon. Uma proeza de visão de jogo. 

 

Menos, Sassaroli... (II)

Ronalducho fez dois gols

Sassaroli deita e rola.

Imaginem se o menino

Começar a jogar bola...

Menos, Sassaroli.... Menos...

Cê gostou, né, Sassa? Com alguma (não toda) razão. O gorducho jogou na banheira, mas, ali, jogou bem. Melhores que ele estiveram o Cicinho, o Juan, o Pernambucano, o Robinho e o Ronaldinho Gaúcho. Sem o bolo que essa turma conseguiu fazer, Ronaldo simplesmente não teria onde colocar sua cerejinha.

Galvão Bueno, pérfido, como sempre. É questão de caráter. Esse cara provoca em mim profundas reflexões sobre o sistema penal brasileiro. Continuo não sendo a favor da pena de morte. Já do pelourinho...

Planalto Preparado

Hei, Gorducho, mira um metro acima da cabecinha da Dona Marisa.

Gorducho enfia a primeira

Gorducho 1 x Cabecinha 0

Eu bem que falei, o Ronaldo é do caralho.

Enfiou a primeiro no representante mor do cu aberto da América Latrina.

 

Agora, senta e pedala, nine fingers!!!

Tem Bundinha no planalto que vai passar uns dias sem fazer aquilo que faz há 3 décadas, ficar sentada prazeirosamente.

Japan Pan Pan

Zico foi claro com o time!

 

Perozzi,

Os japorangas são ruins mesmo, o Zico foi tão claro na estragégia que passou por escrito pros japinhas decorarem, mas saque vai saque vem, e vemos que eles são bons de vôlei, não de fut.

Domoarigatogozeimachtá (isso é um obrigado em japa, mas um obrigado para caralho)

Japan Pan Pun

Aiiiiiiií, esse entrô, né.

Fujiro Nakombi sobe no alambrado após fazer 1.º golo do Japan, né

Japan Pan Pan

Brasil joga bonitinho

Perozzi está feliz que nem bobinho

Os japoneses fizeram seu golzinho

Quero time titular de volta rapidinho

 

Misturança

A Primeira Leitura que comprei na semana passada foi a última. Também lamento. Só acho uma pena que tivesse um viés tão partidarizado. Era um espaço de reflexão do PSDB, o que é ótimo para o partido, mas não tão bom para o leitor. Meu modelo de bom jornalismo continua sendo o Luiz Nassif, perdido no meio daquele monte de estrume da Folha de São Paulo. Enfrenta a realidade fato a fato, sem filtros ideológicos excessivamente estreitos, e não se deixa pautar por escândalos.
Quanto ao Paulo Mendes da Rocha, estou de pleno acordo. Tem urbanista que é como o Parreira: faz um plano, e depois tenta enfiar as pessoas dentro dele. Por falar nisso, o Cassab está saindo muito melhor do que a encomenda. Tomara que consiga implementar esse projeto de regulamentação da publicidade no município. Duvido que vá conseguir, mas torço.
Daqui a pouco, o jogo, né? Ia torcer para o Japão, mas, agora que o Parreira resolveu entrar com o time reserva, vou de pátria amada, idolatrada, salve, salve. Só espero que não continuem adormecidos em berço esplêndido.
Depois eu volto.
Ciao, bruto.

Caro Amigos. Sub-cu-da-cobra

Vomitei!!!!

Ah, faltou comentar sobre sua oferta de uma assinatura da Caros Amigos. Gracias, mas dispenso, não serve vem para limpar a bunda. Aquilo não é jornalismo é prozelitismo puro e de baixíssima qualidade.

 

Vamos aos fatos: durante o governo FHC, acho que lá por 2000, esta grande revista saiu à cata de um suposto filho do ex-presidente. Aporcada chafurdou na lama de seus conceitos mancos e desajeitados para provar o que queria. Coisa do nível da maricota que nunca chegou ao orgasmo e fica doente por que a vizinha dá uma trepada toda noite com o maridão, aí espalha que ela é uma puta, tá dando em cima do seu marido. Este é o grande jornalismo de esquerda que temos, aquilo que eu chamo de sub-cu-de-cobra. E o cara dá aula de jornalismo.

 

Quer dizer: quando Collor mostrou a Miriam Cordeiro, era uma atitude fascista, canalha, baixa, etc. Acho que era irrelevante para o Brasil, era assunto que interessava aos envolvidos e só. Baixaria. Mas os valorosos editores da Caros Amigos podem. Valores para esta gente são adaptáveis, flexíveis, dependem da causa que se defende, se a causa é a nossa, tudo pode: chafurdar a vida dos outros, comprar deputados, e tutti quantti. Os revolucionários de direita e esquerda são basicamente tarados por suas causas, não há espaço para reflexão, ruim para o mundo. De vez enquando, chegam lá no poder e dá um Hitler, um Mussolini, um Stalin, um Fidel, um Chavez.

 

Fui...ver o jogo.

Era bem melhor assim.

Cidades Européias – diz que as cidades européias são uma porcaria, são insuportáveis na presunção das pessoas, no comportamento. Eu acho que um londrino, um parisiense, um romano, um berlinense, um madrilenho e todos os demais têm todo o direito de serem presunçosos pelas cidades em que vivem, sem a consciência de culpa que este crsitianismo deformado da esquerda quer imcutir as pessoas. E quem já foi para lá sabe que eles não são assim. Mas é a velha tara da esquerda: dar certo na vida, de um simples cidadão a um país, é o capeta. Vamos distribuir esta riqueza que deve ser fruto da exploração de alguém.

 

Muro de Berlin - ele não acabaria com o Muro de Berlin, faria umas portas bonitas. Será que é porque fica mais fácil fechar depois?

 

Av. Paulista - reclama da Avenida Paulista, “uma contradição em desastre”. Bonita, viva e pra lá de demais é a Esplanada dos Ministérios. Num certo sentido a Esplanada é o símbolo do paraíso na terra, pena que financiada pela miséria nacional.

 

Lula – uau, ele vai votar no Lula e no PT. Tem todo o direito, mas a explicação é demais de boa. Diz ele: “minha visão do voto não é moralista, é guerrilheira: vamos em frente”. CONCLUSÃO: os malufistas sempre foram a vanguarda eleitoral brasileira, nunca tiveram esta visão moralista do voto. Ai, que alívio.

 

Onde ele mora – seria interessante saber onde mora o ilustre arquiteto, será que numa das favelas que ele tanto elogia? Duvido.

 

Enfim, melhor que ele volte pra prancheta, é mais útil à humanidade.

 

Argh!!!

 

Seguinte,

 

 

Já lhe expliquei dez vezes, tá certo que em todas elas você tinha enchido o caneco. Pela 11.ª: escreva no word depois passe pro blog. Sem ajuda o Uol Blog não vai.

 

Não precisa matar o Galvão, deixa o cara trabalhar, você anda muito revoltado.

 

Hoje, a Folha publicou a Sabatinha com o Paulo Mendes da Rocha. Apesar daquela merda da praça do Patriarca é bom arquiteto, mas mal pensador. Como nine fingers, tudo é culpa da Dona Zelite.

 

Shopping Ceters - Não gosta de shopping o gajo, mas o que é o mercado municipal? Há tanta diferença de conceito? Acho que não. Chama-os de quimeras e a cidade para ele é feita de botequim e padaria, porque não tudo isso? É engraçado o caráter autoritário destes sujeitos, eles querem que cidade s faça de sua maneira, a cidade de faz a partir de suas condições, se sua história, de suas necessidades, da ambição, da omissão e de tudo o mais.

 

Neoclássico - diz ele que os ricos merecem o estilo neoclássico, mas será que não é por que os modernistas e os pós-qualquer coisa produzem peças de arte inabitáveis? Veja os palácios feitos pelo Niemeyer.

 

Cidade Fechada - o doutor reclama que a cidade se fecha toda, com medo da violência, que é uma fantasia coletiva, obviamente.Conclusão minha! Diz ele: “Como, por exemplo, morar distante, fechar para se proteger. Fecha, fecha e, de repente, a filha mata o pai”. Bem, o caso mais famoso da filha matar o pai, e a mãe de lambuja, é o da Richtofen, que morava numa casa normal, num bairro aberto, como tanto defende o doutor Mendes da Rocha. Ah, como é gostoso poder falar sem compromisso com os fatos.

 

 

Wish List

O Brasil ganhando a Copa

Eu num barzinho bebendo

Carlos Galhardo cantando

Galvão Bueno morrendo...

Pombas, professore... Se o critério é esse, deveriam entregar a narração pro Tom Cavalcanti. Ou prá Hebe Camargo. Já pensou, que gracinha?

Quanto à bancarrota de Primeira Leitura, não fique triste, velho Sassa. Vou lhe mandar uma assinatura da Caros Amigos de presente.

Ciao, bruto.

P.S.: qualquer horinha dessas, me ensine a deixar o texto todo alinhadinho. O meu, centralizado, fica parecendo menu de restaurante.

Galvão Bueno na cabeça.

 

Você vive descendo o cacete no Galvão Bueno. Tá certo ele às vezes é muito mala, fala bobagens pra cacete, diz besteiras atrás de besteiras, faz patriotada, mas, meu velho, se não fossem pessoas como ele do que a gente iria rir neste país afundado na lama do mensalão, acuado pela gangue do Marcola?

Então, viva Galvão Bueno.

Brasil mais ignorante

 

 

 

Eis que ontem fui dar uma olhada no site Primeira Leitura e descubro texto de 19/06/06 dos editores dizendo que decidiram fechar a revista e o site. Falta de patrocínio. Péssimo sinal.

 

Minha sensação de o Brasil afunda na mediocridade cada dia mais só se confirma. Nossa imprensa é de baixíssimo nível, com raras exceções (Estadão, Globo e Veja, às vezes) o superficialismo é total, não dá vontade de ler nada. É uma lenga lenga politicamente correta ou marxismo barato ou briguinha ideológica de quinta categoria.

 

A única exceção nos últimos anos era Primeira Leitura. A gente passava o mês lendo aquelas matérias bem feitas e não via a hora do número seguinte sair. Quando lia uma matéria sobre assunto que eu conhecia, dava gosto ver como o jornalista tinha pesquisado. Reinaldo Azevedo é para mim o melhor texto do jornalismo brasileiro, está um pouquinho acima de Dora Kramer, Josê Nêumane, Jabor, etc. Certa vez, vi Rui Nogueira, o outro editor da Revista e do site juntamente com o Reinaldo, no Roda Vida. Era evidente o domínio que ele tinha do assunto, tinha estudado a fundo para entrevistar o político que estava lá. Foi uma revista liberal que quase deu certo. Ali havia a chance de se aglutinar um grupo de pensadores brasileiros liberais, defensores do capitalismo e da democracia no Brasil, o que nos faz muita falta. Um contrapeso ao marxismo dominante na imprensa e na academia, quase sempre de muito baixo nível, aliás.

 

Como diria o chefe da quadrilha, estou cada vez mais convencido de que o Brasil está perdendo o passo e, como já disse aqui, sinto que o país não vale a nossa esperança. Não há muito a fazer, a não ser viver os dias.

 

Fica aqui um abraço a toda a equipe do Primeira Leitura e muita sorte a todos, grande trabalho pessoal, valeu mesmo.

 

Perozzino, por hoje é só.

     Deus no céu, ela na terra

     http://www.yousendit.com/transfer.php?action=download&ufid=D8AFEFF2586CDB26

     Classificação:

Hi, Sassaroli. Thanks to Dick, you can listen now to Walt Disney singing a beautiful samba while smoking a pipe - all at once. The old chap doesn't give a shit to what Dorfman and Matellard have said about Ronald Duck. He didn't mean to hide away, but as Nine-Fingers is in charge, and Salvador Allende gave him a really bad time in the past, he prefers to be called by his Brazilian nickname: Carlos Galhardo. Now just relax and... enjoy it.

Confesse!

Sassaroli, você lia a Seleções do Reader's Digest?

(Nome mais esquisito. "Reader's Digest" quer dizer "sumário do leitor". Eles liam, sumariavam e, no fim, selecionavam? Caracas... Se, antes de ler, eles selecionassem, acho que o resultado seria melhor...)

Interessado?

O nome era Para ler o Pato Donald, do Ariel Dorfman e Armand Mattelard. Era estudado no Chile, nos centros de cultura operária, durante o governo Allende. Uma bobajada, que nossa mãe do céu! Donald não trabalha (mentira, por sinal), transmitindo aos pimpolhos incautos uma falsa idéia a respeito das relações capitalistas de produção. Huguinho, Zezinho e Luizinho não têm pai, nem mãe, situando-se, assim, numa perspectiva a-histórica (gostou dessa, né, Sassa?). E por aí vai. Quer emprestado?

Walt meu Velho!

 

Não é o Carlos Gualhardo sem cachimbo

 

 

Perozzi,

 

 

Inspirado na sua insistência em usar esta foto do Walt Disney retocada como sendo do Carlos Gualhardo, me veio a mente um livro dos anos 70 ou 80 que fazia uma análise marxista dos personagens de Disney.

 

Como você é especialista em lixo ideológico, algo mais perigoso do que o lixo atômico, por acaso o amigo saberia qual o nome daquela finada obra? Seria legal para a gente iniciar uma sessão “Coisas que seu Filho não Deve Ler”.

 

Um abraço.

 

Não é o Walt Disney fumando cachimbo II (O apelo)

Mesmo sabendo que nem minha mãe lê este maldito blog, refaço aqui meu apelo às gravadoras: regravem o sambista Carlos Galhardo. Regravem as valsas também, sem problemas. Mas regravem também os sambas da década de 30 e 40. É ali, cantando mais à vontade, sem o peso da retórica lacrimosa, que ele fala de modo mais convincente ao nosso tempo, em que bodas de prata são assunto para o Guinness e a neve do tempo foi substituída com vantagens pelo Wellaton. Regravem "Deus no céu, ela na terra", "Largo da Lapa", e tantos outros sambas deliciosos que vão ficando cada vez mais esquecidos.

Ressentimento

 

      Ó do Borogodó

       Classificação:

Dina Inah, eu te amo!!!!

Atrás de um cemitério. Os banquinhos deixam a bunda em pandarecos. Só o banheiro bastaria para fazer jus ao nome do boteco. A entrada é de puteiro, e logo ao lado tem um, de luxo e de verdade. (A digníssima chegou de táxi e o motorista perguntou, incrédulo, se ela tinha certeza de que o endereço era aquele.) Mesmo assim, é divino, supremo, único, absoluto. Dona Inah tem a voz do Nelson Cavaquinho e manda um samba de levantar defunto. Músico mediano, naquela roda, se intimida. Cada freguês é um espetáculo à parte. Ao nosso lado, uma argentina beijocava uma alemazinha, e ambas eram disputadas por um japoronga assanhado e muito bom de samba. Uma nega sessentona, mais bêbada do que eu, estava dançando sozinha entre as mesas (ou recebendo uma entidade, não sei...), quando um moço alto, de faixa vermelha na cabeça e camisa com estampa à la Vasarely, tirou-a prá dançar. Deram um show. E música, música, música da melhor qualidade rolando solta, no meio da madrugada de uma terça-feira. É o Ó do Borogodó, e - por que não dizê-lo? - o cu do curucucu. Noventa por cento da humanidade acharia aquilo abominável, eu sei, mas a verdade é que eu também acho noventa por cento da humanidade abominável, e neste blog mando eu. Daí os versinhos abaixo, em justa homenagem.

Terça-feira, não dá outra: é o Ó do Borogodó!!!!

Rua Horácio Lane, 21 (Pinheiros) (11) 3814-4087

Absoluto

Aos sábados no Rasgueira,

Aos domingos no Frangó.

Terça-feira, não dá outra:

É o Ó do Borogodó!!!!

Coluna do Leitor

 

Perozzi,

 

Vão aqui minhas respostas ao Pinto e a Criss, nossos primeiros e únicos comentaristas.

 

Cris, o Tiquinho faz questão de dormir no tapete ao lado do Perozzi, ele adora cerveja. Beijo.

 

Pinto, você é funcionário público, certo? Uai, quer tudo de mão beijada, rapaz! Dou a dica e você ainda quer o link. Brincadeira, obrigado pela dica, mas a realidade é que além da falta de tempo ainda me falta conhecimento internáutico para saber onde estão os links. Além do mais, eu e a mãe do Michael Jackson somos os últimos terráqueos que ainda combram todos os Cds de que gostamos, nada de mp3. Um abraço a você e ao Zeno’s People

Site da Semana - Per Sassarolli

Anota aí, brodinho!!!!

 

http://pentagon.afis.osd.mil/

Classificação:

 

Muito interessante. Não achei nada sobre a notícia dada pela Folha sobre a discriminação de gays.

 

Peraí que vai endurecer, sin perder la ternura!

- Como bamos hacer mui amigo Fidel?

- Tranquilito, Che. Yo fico a cá en Cuba por que la cosa va piorar mucho, la situacion con los ianques sera insustentable e yo fico para morrir com el pueblo.

- Pera lá, Fidelito, si usted fica para morrrir com el pueblo em nome de la libertad, yo fico también. Hasta la victória siempre!

- No, no, Chezito, yo tengo una cosa mejor para usted. Despues de tanta luta, usted debe salir em ferias para la Bolivia. Paisito tranquilo, sin dor de cabeza, uns ponchos estranhitos, muchas llenãs e mui longe de los ianques. La usted puede hacer su revolucion tranquilamente, sin majores dificuldades.  Creya in mi que soy mucho bien informado.

- Caracoles, Fidelito, usted es muiiiii amigo! miesmo. Gracias

LOS HERMANOS! NO ME GUSTA

Perozzi,

Olha seu ídolo altiplano fazendo mais merda na sofrida Bolívia. Sofrida não por acaso, que o povo de lá merece o que lhe espera, votou no cocalerolero agora seguuuuuuura peão!!!!

Mas primo Evo avisou que vai estatizar tudo por lá, já foi petróleo e gás, agora será energia e tutti quantti. Pobre Bolívia.

1) Se o Brasil não tem grana para o investimento necessário em infra-estrutura, imagine a Bolívia? Mas você, que acredita na nova ficção da esquerda, a economia solidária, me dirá que os investidores estrangeiros botarão dinheiro se o plano for bom; duvido, o cara não só é caloteiro como confiscador, melhor ficar esperando sentado, Talvez tio Hugo ajude, mas tudo tem seu preço e limite.

2) Estatal latino-americana é basicamente ineficiência, gasto público e menos impostos.

3) É um retrocesso em relação ao que o mundo todo está fazendo, estatizar vai significar mais espaço para a esquerda empregar sua gente e para a direita fazer seus negócios. Você me perguntará, mas todos são uma merda? Não, mas a parte boa dos dois ladoa nem aparece, tal a desproporção.

Pelo jeito, não custo muito e Evo Imorales estará estatisando até galinheiro. Aí você chega e descobre: Señor, las galinhas son públicas, si quieres comer é só pagar e pegar.

Anota, vai dar muito.

Adiós.

 

George, keep Walker, Bush!

Perozzi,

Está história sobre o Péntagono só podia ter saído na Folha, o jornaleco das Querelas e Quirelas. O supra sumo do detalhezinho, do lado inusitado da notícia. Uma bosta de jornal desde que Otavinho e Matinas assumiram, acho que no início da década de 1990. Vamos fazer assim, dias desses, falo sobre a Folha e seu jornalismo de merda. Segundo um amigo é a Caras com um pouco mais de textos, só um pouco. Para nós que pegamos a Folha de Cláudio Abramo, Paulo Francis, Peralva, etc, é anadmissível ler este lixo atual, só mesmo para embrulhar bananas na feira.

Você precisa dar a notícia completa. Isso é mais uma propaganda anti-Bush. Veja o que diz o porta-voz,

“O tenente-coronel Jeremy Martin, porta-voz do Pentágono, disse que o documento está sendo revisado. O Pentágono tem uma política de não interferência na vida sexual dos militares, mas exige o afastamento daqueles que se declaram gays.”

 

Viu como você é parcialesco, não tem nada a ver!

Quer virar gay por solidariedade? Problemas seu.

Fuiiii

 

A Bíblia Sagrada

Pode parecer uma profanação para os incréus, esquecidos de que o que é impuro aos olhos do homem é puro aos olhos do Senhor. O Criador, de mais a mais, não tem nariz e, mesmo que tivesse, além de ser Altíssimo, mora nas alturas, ficando a salvo, assim, dos eflúvios da mortalidade.

A Bíblia é perfeita para os instantes de maior recolhimento. Volto à infância, abrindo uma página ao acaso e procurando uma mensagem oculta ali no meio para mim. É como bincar de Gestalt com as nuvens. Uma viagem. Aliás, adquiri o hábito viajando, nos hotéis, com aquelas edições das Testemunhas de Jeová deixadas no criado-mudo. No ambiente doméstico, posso contar com as maravilhosas notinhas da Bíblia de Jerusalém, pulando de um canto a outro do cartapácio, sem assunto, nem rumo, até me convencer de que consumatum est.

Só fumando...

O Pentágono afirmou

Que ser gay é uma doença.

Se alguém tiver um fininho,

Por favor, uma presença!

Saí do armário!

Deu na Folha:

"Um documento do Pentágono classifica o homossexualismo como doença mental, ao lado de problemas como retardamento e distúrbios de personalidade, podendo ser usado como argumento para o afastamento ou a aposentadoria de militares."

Porra, Sassaroli... Nessa hora, até eu sou gay. Em solidariedade. Cruzes... Afff.... Uiiiii...

Bêbado chorão

 

Sábado, voltei tortim prá casa, e fiquei devendo a dica do bar. O nome é Rasgueira. Igualzinho ao Rancho Fundo: bem pra lá do fim do mundo. Mas vale a aventura. Aos sábados, tem uma feijoada que deixa a do Bolinha no chinelo. E chorinho, meu caro. Da melhor qualidade. Perguntei o nome do grupo, e eles disseram que, por enquanto, se chama "Tomara Que Dê Certo". Todos improvisam, inclusive o violão, com uma baixaria de fazer inveja ao Dino, que Deus o tenha. Nenhum número durou menos do que cinco minutos.

Rua Gabriele D'annunzio, 1346 (Campo Belo) 5042-3070. Em Sampa.

Se for pela Santo Amaro, faça o contorno na altura da Águas Espraiadas, retorne, pegue a Vieira de Morais, siga até o 1300, mais ou menos, e dobre à direita. É a terceira rua. Depois, se vire, que isso aqui não é Guia de Ruas, OK?

Corrupção cavalar

Sabe quanto come cada cavalo da PM no Rio de Janeiro? Vinte pratas. Vinte mangos, Sassaroli, só de alfafa. Olhe, na aurora da minha vida, já tive coelhinhos angorás. O que se compra de alfafa com 5 pilas dá prá um cavalinho comer até ficar triste. Uma sugestão pro pessoal lá do Rio: dêem ticket-refeição pros pangarés. Fica mais barato, e o rango é bem mais variado. Se não quiserem seguir o conselho, pelo menos não desperdicem ração. Joguem a sobra no quintal do Garotinho, que ele fará bom proveito. Vai se regalar.

Crédito: deunojornal

Financiamento Público de Campanha, você ainda vai pagar um!

 

 

Tá Olhando o que, meu chapa!

 

Dear Perrozi,

 

Prometo que em breve vou expor minhas idéias contrárias ao financiamento público de campanha. Até quarta-feira, estarei terminando um artigo que, como sempre, louva o capitalismo e sua face humana. Depois disso, estarei pronto para o debate e discutiremos seriamente. Já convoquei meu mascote Tiquinho para não deixar o debate esfriar. Fica tranqüilo que ele o conhece bem aqui de casa, sobretudo quando você fica bebum e dorme no tapete da sala.

 

Thanks a lot.

 

Bye.

LaVern Baker

Essa é fera!

Perozzi,

Vai aqui minha dica semanal de cantora.

LaVern Baker

É uma explosão, não tenho palavra melhor. Este CD é demais. Essas cantoras de gospel/blues/soul/jazz americanas são supimpas. Entra lá  na Amazon (que merece um tempo construído pelos capitalistas, de preferência com grana do BNDES para uma ONG, só de sacanagem) e ouve alguns trechos deste CD.

Ouvindo Touch Me Lord Jesus, que minha mãe não saiba disso, quase pego a Bíblia e vou pro Viaduto do Chá pregar a palavra do Senhor. Certa vez, bêbado, com o Lelo Mascetti, fiz algo parecido sem bíblia, foi delicioso, um dia eu conto isso melhor.

Precious Memories é deliciosa, com aquele orgão eletrônico ao fundo.

Didn't it Rain,cara, é maravilhosa, não dá para ficar sentado.

Sempre há um coro acompanhando, como em Somebody Touched Me e Everytime I Feel The Spirit .

De Money Blues para frente já muda, é um belo jazz/soul cantado com muita força.

Se você explorar os CDs da Amazon (Ave, Amazon!) verá que ela canta de tudo e muito bem, mas ainda acho que no gospel LaVern é o must.

Irrrmãoooo, que Deus esteja com você, sobretudo nas bebedeiras.

Aleluiiiiaaaaaaaaahhhh!!!!!!!!

Bakunin F.C.

Meu candidato a técnico da Seleção em 2010 é Vicente Feola. Quando era vivo, dormia no banco. Agora, depois de morto, vai atrapalhar ainda menos. A escalação, por sorteio. O erro será de apenas 50%.

Ary de novo

 

"Na Baixa do Sapateiro" tem três partes. Bem curtinhas. É quase um hai-kai. A palavra "frajola" caiu do céu e resolveu morar prá sempre naquele verso, de tão à vontade que se sentiu. É uma aquarela. E vale cinqüenta vezes mais que a outra, a enfatuada.

Plano B

Tudo bem, sem jabá, professore.

No próximo jogo, nada de locutores e comentaristas. Assistirei ao jogo com a TV no mute e um CD de dixieland na bandeja. Fica parecendo comédia muda. A gente não se estressa e rola de tanto rir.

Jabá no blog.

É muita grana, meu chapa!!

Perozzi, seu vendido!

Jabaculê em pleno blog? Jabá da CBN? É tudo Globo, hein!

Tá bom, racha aí que tá tudo bem.

Sou sonso, acompanha os jogos pelo canal 39, Esport TV, é tudo Globo, mas não pé Galvão Bueno.

Ciao, bello!

 

Abaixo o Galvão Bueno!!!

 

Prá terminar, lanço aqui uma campanha. A partir do próximo jogo, vamos todos trocar a voz do Galvão Bueno por um rádio. Imagens da Globo, fazer o quê? Mas com narração da CBN.

Perozzi Soundtrack

 

 

 

Tornei-me um ébrio e na bebida busco esquecer
Aquela ingrata que eu amava e que me abandonou
Apedrejado pelas ruas vivo a sofrer
Não tenho lar e nem parentes, tudo terminou
Só nas tabernas é que encontro meu abrigo
Cada colega de infortúnio é um grande amigo
Que embora tenham como eu seus sofrimentos
Me aconselham e aliviam os meus tormentos
Já fui feliz e recebido com nobreza até
Nadava em ouro e tinha alcova de cetim
E a cada passo um grande amigo que depunha fé
E nos parentes... confiava, sim!
E hoje ao ver-me na miséria tudo vejo então
O falso lar que amava e que a chorar deixei
Cada parente, cada amigo, era um ladrão
Me abandonaram e roubaram o que amei
Falsos amigos, eu vos peço, imploro a chorar
Quando eu morrer, à minha campa nenhuma inscrição
Deixai que os vermes pouco a pouco venham terminar
Este ébrio triste e este triste coração
Quero somente que na campa em que eu repousar
Os ébrios loucos como eu venham depositar
Os seus segredos ao meu derradeiro abrigo
E suas lágrimas de dor ao peito amigo

FIDEL@CASTRO.CU

De fato ia abordar esta questão . Cuba era a xoxota da América, um puteiro sofisticado e caliente. Chegam Fidel, Che, Camilo e . . .  só mudam a posição. O ferro continua o mesmo. Ou aquele lema do Che que dizer outra coisa.

 

Hasta la victoria siempre!!!

Caralho!

Puta que pariu, dá para você parar de usar letras vermelhas? É azul marinho a cor oficial, blue navy.

Nossa Visitante n.º1

Ei, Perozzi,

Está eleita nossa visitante número um. É CrissMyAss, que tem um blog muito legal chamado crissmyass.blogspot.com

A primeira mulher que nos visita a gente nunca esquece. Bem, pelo menos foi a primeira que nos deixou uma mensagem.

Beijos,

Para ela não para você, seu animal!

Pra você uma canelada.

 

Sonetos

De Camóes. Só preciso trocar a minha edição por uma outra, escolar, com notas. No banheiro da minha casa, infelizmente, dicionário não entra. Porque não cabe. Sapeco aí embaixo um bem maneiro, procê dormir com os anjinhos.

 

Bem sei, amor, que é certo o que receio;

Mas tu, porque com isso mais te apuras,

de manhoso mo negas e mo juras

no teu dourado arco, e eu to creio

 

A mão tenho metida no teu seio,

e não vejo meus danos, às escuras;

e tu contudo tanto me asseguras,

que me digo que minto, e que me enleio.

 

Não somente consinto neste engano,

mas inda to agradeço, e a mim me nego

tudo o que vejo e sinto do meu dano.

 

Oh! poderoso mal a que me entrego!

Que, no meio do justo desengano,

me possa inda cegar um moço cego.

Conchita mi amore!

Lembro-me bem desta foto. Estávamos a caminho de um congresso em Miami, com todo o quinteto. Esta foto foi tirada dentro de um puteiro de Havana, você estava bêbado como sempre. Fidel chegou e fez um discurso famoso que ficou conhecido como “ La xoxota de la Revolucion”. Discursou três horas, todos brocharam e las meninas no faturaram naquela noite. As putas ficaram putas.

O único que foi para a cama naquela noite foi você, seu bêbado de uma égua. Não tá lembrado? Pois eu tirei uma foto da Conchita, logo que ela acordou na manhã seguinte. Ela tinha o hábito de fumar um charutinho antes do café da manhã. Ela ficou louca por você. Afinal, era o primeiro cliente em um ano. Veja abaixo a fotita dela.

 

Hasta la vista, baby!!

 

fidelcastro ponto cu

Antes que você repare, reparo eu: cubaweb.cu derruba qualquer um, né?

Eu quero ver Cuba lançar...

Eu abraçando o Comandante Fidel

http://www.granma.cubaweb.cu/

Classificação:

Sassaroli, seu reaça... Se um dia eu chegar ao poder, sua discoteca será doada a uma Casa de Cultura Popular. Me aguarde.

Anota aí, brodinho!!!!

 

Nossa primeira indicação de um site aromático. O FED cheira bem.

http://www.federalreserve.gov/

Classificação:

 Este é o site do Federal Reserve. Pra que serve? Para você conhecer o porco mundo capitalista. Divirta-se! Ah, indica pro Hugo Chaves.

Cadê Ronaldinho?

Perozzi,

Só não entendi por que o Parreira não colocou o Ronaldinho Gaúcho para jogar hoje. Você conseguiu descobrir?

Deve ser por isso que você nem falou dele, certo? Se o Ronaldo, perseguido por você porque deu uma merecida solada no Lula, foi uma nulidade no primeiro jogo, hoje foi a vez do Ronaldinho Gaúcho ser um zero à esquerda.

A seleção toda foi uma merda. Os caras estavam adando em campo e dá-lhe bolinha do lado, bolinha para trás, bolinha recuada para o Dida. Tá loco, encheu tanto o meu saco que começei a ler jornal.

Discordo de você, o Casagrande pegou firme hoje, se mostrou puto. O Galvão fez o jogo de sempre. Agora, se eu fosse acionista da Globo, titio Roberto me excluiu do testamento, questionaria o salário do Arnaldo. O number 13 da Austrália pegou o Ronaldo com toda a maldade e ele diz que é acidente, vai catar coquinho! O problema é que esses ex-árbitros devem ter relações com a FIFA e sempre aliviam. Nenhum árbitro erra na Copa para ele.

Quer um exemplo da ligação deles com a FIFA? O Galvão criticou a falta de bolas nos jogos, que está atrasando a retomada da partida. O Arnaldo retrucou de pronto dizendo que bola tem de sobra, os gandulas é que são lerdos. Falô!

Gosto de ganhar, Perozzi, mas este time começa a me preocupar. Dá a imrpessão de que eles acham que é só deixar o tempo passar que os gols vêm naturalmente. Não sei não, mas tô achando que, assim como Zé Dirceu estava cada vez mais convencido de sua inocência (foi a declaração de culpa mais sofisticada de nossa história), a moçada está cada vez mais convencida de que o caneco é nosso.

Abraço.

Pato Ronald

 

Intervalo de jogo. Galvão Bueno defendendo a permanência do Ronaldo a qualquer custo. Casagrande tentando dizer o óbvio, mas com medo de bater de frente com o chefe. Antes do jogo, um especial a respeito do Ronaldo, incensando-o. Como bem disse o Casagrande, tentando passar o recado, o Ronaldo está melhor, sim, mas só em relação à completa nulidade que foi no primeiro jogo.

Pasquale versus Sacconi

Gramáticas, em geral, são excelentes laxantes - ou relaxantes, quando a vida se faz mais dura. Mas nada se compara ao professor Pasquale. Tem bom senso, cultura e senso de humor. Não erre mais, do professor Sacconi, é muito engraçadinho, mas está cheio de erros e frescuras. Distingue "estada" de "estadia", por exemplo, dizendo que só navios no porto fazem estadia. Turista tem que fazer estada. Nessas horas, o Sacconi faz juz ao nome. É como essa praga de "correr risco de morte". Durante anos, moribundos correram risco de vida, e não sei qual babaca achou que o risco não é de vida, mas de morte, ora, pois, ó gajo. Os repórteres de TV foram avisados, e começaram a posar de bacana. Ora, façam-me o favor! Se eu digo que não há ninguém no banheiro, e alguém entende que tem gente, merece ficar borrado.

A quadrilha

 

Zagallo, Galvão Bueno e Ricardo Teixeira ficariam uma gracinha com um lenço preto sobre o rosto. Num faroeste, pelo menos, terminariam enforcados. Malditos!

O Reginaldo Leme está tentando resistir, batendo de frente com o Galvão. Treme quando fala. Sabe que está mexendo em vespeiro.

Romantismo de resultados

O Nassif referiu-se a uma cena que aconteceu alguns dias antes de eu nascer: o Didi pegando a bola dentro do gol da Suécia, e voltando com ela embaixo do braço até o meio de campo, de cabeça erguida. Que jogador teria, hoje, Sassaroli, essa estatura? Vi a cena na TV várias vezes. O Didi parece um gigante caminhando. Hoje, a primeira qualidade exigida de uma capitão do time é ser um pau-mandado. Cafu é bonzinho, joga bem e não ficou louco com a fama, o que não é pouco. Mas não tem luz própria. É a voz e os olhos do chefe. Sou fã do Vicente Feola, que dormia durante o jogo, mas pelo menos não enchia o saco. E pode me chamar de romântico. Tudo que eu queria, neste momento, era ouvir An die Musik, do Schubert, num bolachão de 78rpm, assistindo a um filme mudo daquela caminhada. Um brinde ao romantismo que nos fez divinos! E morte a esse realismo que nos apequena!

Bussunda bateu com as dez
Levei metade de um susto.
Depois teve feijoada
E um chorinho lá no Augusto.

[ ver mensagens anteriores ]