Melhor assim...

Falando sério, Sassaroli. Se nós ganhássemos jogando daquele jeito, eu estaria passando mal. Não fiquei contente com a derrota, é claro, mas pelo menos não estou enojado. Talvez comecemos a perceber o óbvio: Parreira não é um bom técnico. Fez a carreira na sombra do Zagallo, que já não vale um tostão furado. Responda honestamente. Como você se sentiria se o Verdão o contratasse? Entre o Felipão no Palmeiras novamente, e o Parreira, você ficaria com quem? É simples assim.

Vou beber um pouco. Ciao, bruto.

Errei, erramos...

Fernet com 51.

Dizem que é pior do que surra de chinelo havaiana.

Eu tomo uma dose, você, outra.

E estamos quites.

Rapidinhas

Também adoro futebol de resultados, Sassa. Desde que o resultado não seja um empatezinho chocho, com decisão por pênaltis. É legal para tirar sarro de argentino no dia seguinte, mas insuportável no video-tape.

Não vi o jogo de ontem. Mas os comentários são unânimes. A Argentina e a Alemanha jogaram muito mal.

Não há situação melhor para um técnico do que um empatezinho chocho, com decisão nos pênaltis. Se o time ganha, ele é um "técnico de resultados". Se perde, ele deu azar. Os deuses estavam contra, botaram urucubaca, nós quase chegamos lá, na próxima Copa a gente desconta. E o torcedor que se foda.

Futebol é espetáculo, Sassaroli. Por isso cobram ingresso.

Zagallo é um mau caráter. Lembra o episódio da alfândega? Pois é. Mau caráter.

Emerson só pode ser uma obsessão do Parreira. Deveriam resolver o assunto fora de campo.

Ricardo Teixeira é um bom cartola. E o Marcola é um bom chefe de quadrilha. Ambos são bons. Nisso, pelo menos, estamos de acordo.

Se quer guerra, é guerra o que terá.

Pernachia!!!

Cry for You Argentina. Chuuuuuppaaa, hemano!!

 

Perozzi,

 

Toda desgraça do mundo é pouca para argentinos. Catimbeiros, violentos, marrentos, chatos e milongueiros, até que jogam uma bolinha de vez enquando e é só.

 

Se o Brasil perder esta Copa, coisa que acho difícil, já não ficarei triste. Depois que os portenhos tomaram el camino de casa, tá limpo, como diria o Alf. É muito bom ver argentinos chorando de tristeza, é quase tão bom como ver curintianos chorando as derrotas.

 

Volto no domingo. Vê se não surta de novo. Ah, eu sabia que não era comigo aquela revolta contra o estado geral do universo, contra a gravidade, contra a camada de ozônio, contra a existência do cupim, contra o cheiro de alho na mão da velha e tantas outras essencialidades universais geralmente aceitas; fique tranqüilo, eu sei que você às vezes é tomado pela sensação de que passará por este mundo e que ele não terá ficado melhor. Tá pensando que é quem, meu camarada? Churchill? Zé Arigó? Mas sem chiliques, be happy e pega leve que se não você morre deste ódio e o mundo aparece na missa de 7.º dia, coroa de flôres? Tá de brincadeira.

 

Adiós a los hermanos argentinos, foi ruim para vocês? Foi ótimo pra nóis.

 

Ciao, belo.

 

Caracoles amigo, como es dolorido!

 

Perozzi, mais um de seus barcos afundou. Daqui a pouco só vai sobrar uma escunazinha para você voltar para a casa. Quer negociar a paz? Eis meus termos amigáveis de um acordo de paz:

1)     Você deve admitir que futebol de resultados é melhor, porque dá resultados;

2)     Você deve reverenciar Ronaldo Fenômeno toda vez que ele entrar em campo até o fim da carreira dizendo: você é bom e eu é que sou burro, fazer o que?

3)     Nas próximas 10 copas, você não me encherá mais o saco com estas bobagens de futebol arte (depois de mais 10 copas, acho que já vou morrer);

4)     Escreverá no blog que prefere Ronaldo Gordo a Lula bêbado;

5)     Deve incluir Parreira, Felipão e Lazaroni nas suas orações noturnas;

6)     Deve colocar um foto do Emerson em seu escritório;

7)     Deve admitir no blog que Ronaldinho Gaúcho é jogador de time, não de seleção;

8)     Deve fazer confissão bloguiana de apreço pelo homem e pelo profissional Zagalo;

9)     Também em relação ao Zagalo, deve confessar de público que ninguém fez mais pelo futebol brasileiro;

10) Para acabar de vez com esta guerra, deverá confessar que Ricardo Teixeira é bom cartola.

 

Aceitando integralmete este termos, nossa paz está selada.

 

O futebol muleque argentino naufragou diante da Germania. Concordo com você, os chucrutes jogaram mal, feio de doer, mas que eficiência têm estes teutônicos.

 

Rapidinhas

 

O negocinho ali da Boa-Esperança não era na sua canela, não, Sassa. Vi a bola pingando na área e chutei. Aliás, ela tem um quê de boneca inflável, não tem, não?

Galvão Bueno não dá. Definitivamente, um mala. Um baú sem alça. Merece um Nike na testa.

Estou no terceiro casamento, Sassa. Se a digníssima me der um Nike nos fundilhos, casar-me-ei novamente. Até de sogra e de cunhado eu gosto, imagine você. Filhos, já não. Deixo a você a incumbência de perpetuar a espécie. Minha parte em filhos, tirei em milhagens.

Hoje é dia de prova. Vou elaborar as questões. Ciao, bruto.

Antinarciso

Eu invejo qualquer um

que conheça a minha cara

e saiba como é a voz

do Perozzi quando fala.

 

P.S.: Como sei que você terá idéias brilhantes a o ler estes versinhos, Sassaroli, deixe-me ir logo avisando que ninguém está interessado em suas descrições.

Perozzis em 2007.

 

Deu por aí: Uma nova safra de estudos comprova que os casados são mais saudáveis e vivem mais.

 

Fico pensando em meu amigo Athos lá de BH, uma figura como poucas, que há dez anos atrás já tinha se casado cinco vezes. E hoje? Sei lá, não falo com ele desde o quinto casamento, ou morreu, ou está firme no quinto, ou não me convidou para mais nenhum.Esse vai viver pra cacete.

 

E tem nosso amigo Luiz Paulo, me convidou para padrinho de seu primeiro casamento, durou mas acabou. Casou-se de novo, lá fui eu de padrinho, durou o suficiente para acabar. Casou-se de novo pela terceira vez neste ano, lá pelas tantas na festa, com a dose correta de álcool lhe avisei: meu amigo, se este também não der certo, o problema certamente sou eu. E olha que só dei faqueiro Tramontina de 19 peças e ele continua me convidando.

 

Sassa mal que só ele.

 

Vai que é tuuua, Perozzino!!!!

Perozzito,

Aproveitando que você surtou com o caso da Suzane, eu, como bom amigo que sou, sabedor de sua admiração pelo sujeito, pelo homem, pelo profissional, pela figura humana, pela sua celebridade e celeridade intelectual, lhe passo, na amizade, este link para você poder ler a entrevista:

http://vip.abril.uol.com.br/aberto/materia_1_13327.shtml

Haaaajaaaa coraçãooooooo! É ele, GALVÃO BUENO falando para VIP.

Ou você se cura ou se joga do telhado de sua casa.

 

Onde está Perozzi?

Corta o Cynar do homem!

Garçon, corta que o Perozzi surtou.

 

Perozzi, meu amigo, você não perdeu a aposta. O Brasil fez três gols, mas Gana não fez nenhum, o placar foi 3X0 e não o 3X1 que eu havia escolhido.

 

Portanto, não havia necessidade nenhuma de você comer aquela coxinha com catupiry da Baixada do Glicério com aquele copo de Cynar falsificado. O que fizeram com você rapaz? Surtou pelo estômago! Embolou tudo.

 

Toma um copo de vinagre de maça verde com duas colheres das de sopa de sal grosso do Rio Grande do Norte para você depurar corpo, alma e banheiro.

 

Puta que pariu, como você ficou mal, hein! Eu só falei da Suzane Boa-Esperança porque ninguém quer a menina. Aí escolhi aquele pijama com capacete por razões óbvias e você entrou em parafuso, pensou até no coração dos fascínoras chegando no quarto. Santa Maria Madalena, vai ser negativo na casa do chapéu.

 

Toma um Gardenal, velho. Ah, e dorme com a porta do quarto trancada.

A Suzane que dorme e sonha dentro de todos nós

É engraçado, Sassaroli. Não consigo sentir ódio da Suzane Richthofen. ("Suzane Boa-Esperança" não é uma tradução perfeita, mas não está longe do original. Fica a meio caminho entre a freira e a chacrete, não fica?) Acho que é porque o ódio que ela desperta me interessa ainda mais. É um ódio complicado, espesso, onde parece que o Brasil inteiro está resumido. Há ódios virtuosos e odiosos misturados. Tem o ódio da impunidade (Suzane, quase mensaleira, sairá livre em três anos), o ódio das diferenças sociais (na contraposição com os irmãos Cravinhos e com as crianças pobres que, apesar de tudo, respeitam seus pais), o ódio da juventude e da beleza (tem, sim, Sassa: uma faxineira me disse que, na cadeia, as presas deveriam marcar o rosto da Suzane a navalhadas), o ódio das chicanas jurídicas (o advogado falastrão sabe que, nesse caso, suas manobras são contraproducentes, mas insiste em mostrar aos futuros clientes sua destreza na arte de procrastinar), o ódio da violência misturado à fascinação pela violência (tenta-se imaginar o momento das pauladas, sentir dentro do peito o coração disparado dos criminosos, pintar num rosto incompleto o pavor daquele que morreu depois, arquitetar uma certificação possível da morte, descer as escadas, encontrar Suzane no andar térreo e fugir). Acima de tudo, existe nessa grita geral (no grito da Hebe, em especial) esse gozo coletivo do linchamento, que levava as pessoas à praça para rir do desespero dos enforcados. Consigo reconhecer em mim mesmo fiapos (às vezes retalhos inteiros) de cada uma dessas coisas, e fico um pouco esquecido da Suzane, Sassa. A violência dela é opaca para mim, está distante demais, fragmentada demais. Não faz sentido. A violência da Hebe, não. É corriqueira, próxima, palpável, dessas que merecem o verso do Baudelaire citado pelo Eliot:

You! hypocrite lecteur! - mon semblable, - mon frère!

Sassa e seu grande coração

Sassa e seu novo Pijama

Deu no UOL: Justiça manda Suzane de volta para a prisão.

 

Perozzi, esta história da Richthofen já me cansou. A justiça ora manda a menina para a casa, ora manda para a cadeia e os jornalecos enchem o saco da gente com esta novela. Hebe Camargo estava puta na segunda e pediu que todos a chamassem de assassina quando a encontrarem. Como você sabe, eu vejo a Hebe nos intervalos do Roda Viva e como são curtos eles! Mal aparece uma gostosa, vejo a frente, quando vou checar o back office, o Markun (que tem uma cara de chefe do setor de censura da KGB- Depto. De Gibis) está chamando, assim não dá.

 

Bem, Prof. Sassarolli, benfeitor número 1 da humanidade, vai acabar com o problema. Vou dar abrigo à menina, essa rejeição contínua acabará fazendo mal à menina, pode dar em desvio de personalidade e atitudes agressivas devido a sensação de “ninguém me ama, ninguém me quer”.

 

Hei, Perozzito, uma semana em casa e outra na sua, topa?

 

Tati em momento intímo

 

 

Perozzi, nosso leitor-mor (Pinto) nos convida para uma cachaçada na Mourato. Eu vou, mas só se ele levar a Tati. Por falar nela, consegui uma foto ‘artística’ dela, pelo jeito ela dá muito mais que um caldo, dá um jarrão Tuppware de dois litros. Uruuuuu!

 

Cadê você, meu velho? Tomou Doril? Puts, esqueci, às quintas você leva a esposa ao dentista. Dr. Ricardo e sua broca continuam preocupando, hein!

 

Sobre dentistas um amigo me contou: seu avô avisou, nunca case com mulher baixinha, pois só dão problema, nem deixe sua esposa ir sozinha ao dentista e ao médico. Fiquei pensando, do jeito que tem especialistas hoje, o velho ficaria louco, olha só que agenda:

 

Segunda: Endocrinologista;

Terça: fisioterapeuta (este é o mais sinistro de todos)

Quarta: dermatologista na quarta;

Quinta: Ginecologista

Sexta: despudoradamente, despedida de solteira da Lucinha no Clube das Mulheres na Rua Picardia.

Fui.

Ai, Jesusss!

Perozzi Assustado com Gana no ataque, depois do Brasil ter feito 3 X 0

 

 

Perozzito, que se passa, chicco? A coxinha com catupiry passou tão perto que você não se recuperou até agora? O Bar fica na Baixada do Glicério e se chama “O Lucro é nosso, o risco é seu”

 

Vamos fazer nova aposta? Vale a coxinha e o Cynar? Brasil 3 França 1 para sábado. Faça sua aposta, caro amigo. Só vale apostar na França, obviamente.

Já volto!

É, Perozzino, se o ataque de Gana acerta uma bola no gol do Dida, você iria sentir o gosto amargo de fazer apostas moleques contra apostadores de resultados. Se aqueles caras de Gana soubessem onde ficava o gol, ó!

Lá pelos 40 do segundo tempo, eu já estava com a lista telefônica na mão escolhendo o bar do centro. Liguei para 15 deles para saber o preço da coxinha, quanto mais barata mais atraente.

Achei um bar perfeito, o sujeito avisou para irmos nesta semana porque na próxima haverá inspeção sanitária na região e eles tem que dar uma parada nas atividades por um tempinho, depois volta. São bem informados, como se vê.Ah, tem coxinha de frango com catupiry, imagina a meleca.Mas fica tranqüilo que o Cynar mata qualquer coisa viva.

Ufa...

A cada ataque de Gana, no final, eu sentia um gostinho amargo na garganta.

Cynar à vista...

Quarteto Irreverente

Fim do primeiro tempo, dois a zero. Gana tem a defesa mais tosca de toda a Copa. A rigor, eles não se defendem. Quando vem o ataque, eles formam uma espécie de barreira na linha da área. Fica todo mundo livre. A teimosia burra do Parreira vai vencer. E eu vou acabar tendo que engolir um copo de Cynar por causa dessa defesa arrombada.

Anexei uma manchete de um diário local mostrando assombrosas semelhanças entre o pessoal de Gana e o pessoal do Pentágono.

O pior de Noel Rosa

Sassa, esta é feia, mas vem a propósito. Aliás, acho que é a pior que o Noel compôs em toda a sua vida. Vai aí o refrão, procê cantar durante o banho:

Ai, que mulher indigesta!

Indigesta!

Merece

um tijolo

na testa!

Perozzi: depois do Cynar

Perozzi,

Nada de chopinho, não fuja da raia. Será coxinha com Cynar, esqueceu?

Vai dormir, meu amigo, que já está tarde para o seu bico. Daqui em diante somos eu e George Walker que mandamos, antes também, mas você acredita no contrário.

 

Aliás, você não ia fazer um discurso contra a democracia? Aposto que ai reclamar desta mania dos americanos de achar que podem impor a democracia mundo afora, certo? Pois, eu estou de pleno acorco... com os americanos, obviamente. Não digo impor, mas criar mecanismos que induzam o país à democracia, se é que você me entende.

 

Só uma provocação: quando eles fizeram isso num país chamado Alemanha e noutro chamado Itália, você também não gostou?

 

PS: este copo americano de Cynar será em homenagem a Ronaldo Fenômeno, o que vai doer mais que o veneno da bebida em seu fígado.

 

Ei, Sassa... Chopinho na sexta? rs...
De Malas e Alças

Fato: a Legião dos Malas é Indestrutível 

Perozzi,

O Pinto está certo, como sempre. Perda de tempo tentar explicar à Tati o que é o excracho. Ela acha que nós teríamos interesse nela, mas deve ser uma mulher-mala, politicamente correta que não admite gozação sobre as vacas sagradas mentais que acredita. Portanto, encerro aqui minha polêmica sobre sexo, cansou. Em certos casos, melhor uma punheta mesmo. Afinal, eu sou um bloguista de resultados.

Tentarei voltar mais tarde para comentar uma coluna de seu ídolo Clóvis Rossi, para mim o jornalista mais 'experto' do Brasil, ganha bem para escrever a mesma coluna ha décadas, e também falar da entrevista de hoje da mulher-mala ensebada que é a Jane Fonda, que agora se diz feminista cristã. Poinnnn!

Já que você se declarou gay por solidariedade, não me venha com esta estória de pompa-gira homossexual. Assuma sua solidariedade e sua sexualidade transviadada. Estou com o Péntagono, não por preconceito contra os gays, guerra e gay não combinam, o soldado gay tende a se apaixonar pelo inimigo e olha a tática do general indo pro brejo.

Ciao, Belo.

Meninos x meninas

Xiiiii... Cacilda.... Tá pintando uma guerra dos sexos... Pintando, não, que pode parecer machismo. Deixe-me ver... É... Está se abrindo uma disputa... Não, não... Isso também pode dar rolo. Xiiii... Rolo... Piorou. Agora é que vão me descer o cacet... Ah, deixa prá lá. Tenho mais o que fazer - a digníssima deixou a louça inteirinha do almoço para eu lavar.

Te exconjuro, coisa ruim!

Shirley...Volta pro teu mundo, tinhosa! Larga esse corpo que não te pertence!

Da insatisfação sexual Masculina

 

Não era nenhum Brad Pitt, mas pegava todas!

Perozzi,

Fiquei pensando na acusação que a Tati nos fez. Somos homens sexualmente insatisfeitos, diz ela.

Ora, a insatisfação sexual é condição intrínseca e inseparável da masculinidade contemporânea. Simples, a natureza passou bilhões de anos nos moldando para catar todo mundo lá na caverna. O macho quer por natureza catar todas, mas hoje a gente olha, deseja e deixa pra lá, com um tremendo sentimento de culpa paleozóica.

A natureza passou um tempão nos ensinando e vem esta merda de civilização dizer que está tudo errado. Veja você, como é duro ser homem, carregar esta contradição entre nossa natureza e nossa consciência.

Portanto, Tati, se você tiver um namorado que lhe diga que é sexualmente satisfeito, considere uma destas três hipóteses: ou é um mentiroso ou é um ignorante ou é um boiola. Ah, é possível a combinação destas qualidades de todas as maneiras possíveis, inclusive todas juntas, já que desgraça quando vem nunca é pequena.

Primeiro Princípio Básico da Masculinidade: um homem macho, é preciso que se faça tal distinção, olha para todas as mulheres, deseja a maioria delas e, os fiéis à ancestralidade, fazem de tudo para catar algumas. Se seu homem achar um defeito até na Juliana Paes quando está na sua frente, xiii! Ou é assinante da Playboy há décadas ou a menina morre de inveja da gata.

Primeiro Ensinamento Básico da Felicidade Feminina: se seu homem elogia a vizinha, não se incomode, deixe o cara se soltar, assim ele vai aliviar seus instintos mais primitivos e ela só será objeto de desejo e não de tara irrefreável, isto é, vai querer comê-la de qualquer maneira. A repressão, minha cara, acentua o desejo.

Acaba aqui a primeira lição básica sobre como se relacionar com homens, de verdade.

Rapidinhas

Não gostei do jogo de Portugal, Sassa. Jogo truncado, pancadaria do começo ao fim. Os lances mais emocionantes, na minha opinião, envolveram, todos, o Scolari. A gente sempre pensa que, desta vez, ele enfarta.

Quero deixar claro que aquela minha recaída teve um sentido puramente ideológico, de apoio a minorias oprimidas. Faço minhas as palavras da canção: "o que dizem de mim são mentiras / meu bem, eu parei..." Affff....

Essa senhora de quatro daria uma imponente estátua pré-histórica, não daria, não? Eu a imagino feita de granito, bem no meio das ruínas de Stonehenge. Ou, em miniatura, de pedra preta, bem polida, servindo de peso para papéis. Ou, em terracota, no Museu de Etnologia de Viena. De carne e osso, só consigo imaginá-la posando para o Botero.

As mulheres não nos entendem, Sassaroli. Mas, admita, se entendessem, seria bem pior. Agorinha mesmo, fazendo a barba, olhei para o espelho e me lembrei da frase que papai, do alto de sua sabedoria, vivia repetindo: "A gente se mata de trabalhar, e esse filho da puta só faz merda na vida!" Cara, como eu piorei!

Sassa, se eu perder a aposta, pago, e tudo bem. Se você perder, pagará também, seu canalha, nem que seja necessário contratar uns brucutus para forçá-lo a tanto. Mas, se Deus for bondoso conosco, e nenhum de nós acertar, vamos dar um giro pelo Centrão do mesmo jeito? Faz tempo que a gente não anda por lá. Só vamos evitar o Arouche. Vai que eu não seguro a onda.... Affffff.....

Ilmo. Prof.Sassarolli e suas relações sexuais barra pesada.

 

Engraçado essa Tati, quando contei de meu caso com Justine (foto acima, na qual eu estou embaixo), ela nem aí. Bastou colocar a Gertrudes e ela ficou puta. Não entendi por que ela tem ciúmes de uma e não tem da outra. Nós homens não conseguimos entender mesmo a cabela das mulheres, nem elas as nossas.

Alô, Tati.

Sassarolli e Perozzi: gladiadores em Roma e muito machos.

 

Perozzi, certas mulheres são engraçadas. Veja o caso da Tati. Primeiro perguntou se éramos homens mesmo, só por que coloquei um boiola numa pica voadora. Depois voltou a reclamar por que sugeri a Gertrudes como sua Enfermeira Instrumentadora, em complemento à minha sugestão de terceirização da sua punheta. Aí ela nos chama de homens sexualmente insatisfeitos.

 

Deus do céu, onde fica o bom humor dela, onde está o escracho em sua vida.Acho que ela é política e sexualmente correta, isso é meio caminho andado para a infelicidade.

 

Perozzi, tá vendo, é isso que dá você dizer que viraria gay por solidariedade devido àquela notícia difamatória sobre o Pentágono afastar militares que se declarem gays.

 

Como você sugere que acabemos com essa dúvida da Tati?

Mais Apostas

Já escolhi as minhas Coxinhas.

Perozzi,

Uma segunda aposta. Se der Brasil, por qualquer resultado, você come a coxinha, se der Gana, também por qualquer placar, eu como a coxinha. Aquele Cynar estava me preocupando.

Terceira aposta: se o Parreira escalar o Marcos para o banco, eu como uma coxinha, se não escalar, você come uma coxinha.

Quarta aposta: se Parreira vier vestido de agasalho amarelo, eu como uma coxinha, se vier de agasalho cinza, você come uma coxinha.

 

Futebol de resultados dá resultados

Hão, hão, hão, ninguém é melhor que Felipão!!!

 

 

Tá bom, digo que o Brasil vence de 3 a 1. Vejo que o traira já está torcendo pelo time de Gana. É claro, o Brasil jogo feio e os elefantes africanos têm aquele futebol muleque que você tanto quer. Terça-feira a mulecada ganense vai descobrir o que é jogar com homens.

 

E aí o que achou de Holanda e Portugal? Eu acho Felipão demais, torci por Portugal, mas não queria a Holanda de fora, gosto muito do futebol deles e ainda mais da torcida, que vibração. Sem falar naquelas loiras estonteantes, e todas de laranja.

 

Perozzino, você entendeu o que é jogar por resultados. Que raça de Portugal. Viva Felipão.

 

Perozzi à meia-noite, meio acordado, meio dormindo.

 

Não acredito, Perozzino acordado e já é quase meia-noite. Escreve um onte de bobagens de depois fica com medo do comando Sassarollianos que atacam mortalmente na escuridão e no silêncio da madrugada.

Dorme, seu panzarollo! (não tenho a menos idéia do que seja isso).

Errata

Sassaroli, seu safado! Não roube no jogo! A aposta não é que Gana vai ganhar, mas que vai ganhar de 2 a 1. Você tem que prever um resultado - 1x0, 2x2, 4x1 - capisci, stupido? Se nenhum de nós acertar, o "prêmio" é acumulado: duas coxinhas, e dois copos de Cynar. A partir do terceiro jogo, se não houver vencedores, a disputa claramente passa a envolver a morte de um dos dois.

Quitutes

Esperando Perozzi!

 Perozzi,

Bastou eu me ausentar por dois dias que você surta. Fechado aí nesta aposta. Dá Brasil. Se der Gana, eu como essa coxinha e tomo um Cynar, se der Brasil é você quem vai para o sacrifício.

Já comi coxinha no pior Posto de Gasolina da Dutra, quiçá do Brasil. E não chama aquilo de Restaurante porque seria abusar da flexibilidade do conceito. De sacanagem, perguntei à atendente se ela comeria aquela coxinha. Eu não, me disse ela. E fui em frente. Fome dez, problema zero.

Como dizem os jogadores de futebol: “o professor falou para a gente que temos que encarar este desafio com naturalidade. E dá licença que vou voltar pro vestiário”.

Só para se ter idéia do nível do local, a decadêcnia era tamanha que as prateleiras estavam quase que totalmente preenchidas com garrafas de caninha 51. Tenebroso, seria um termo justo para aquilo.

Espírito esportivo

Uma apostazinha prá animar a semana, Sassaroli. Acho que Gana surpreende e ensaca o Brasil. Dois a um. Dê o seu palpite. Se um dos dois acertar, o outro é obrigado a comer uma coxinha (a seco, sem pimenta) lá no Centrão num bar escolhido pelo ganhador, e ainda por cima rebater o petisco com um copo americano de Cynar. Tem que tomar rindo. Se fizer careta, engole outro. Topa?

[ ver mensagens anteriores ]