PSDB-Partido Só de Bundões Brasileiros

Perozzi, tá multiplicou por 5, fez e aconteceu. Só tem um problema, a parte que você disse que ele tem fazer para a genet produzir e manter esta mamata populista, ele não fará. Não sou contra o Bolsa família e todas as bolsas, inclusive a Louis Vuitton, mas desde que com contrapartidas. Já cansei de escrever sobre isso, enche o saco: me dá aí 5 anos, depois a gente volta a se falar sobre isso.Até a Heloisa Helena já percebeu a furada.

Viu a prisão da PF? É isso que dá os bundões do PDBS pegarem leve com a petistalha. Não se fala manso com esta gente, eles só entendem a sua própria linguagem. FHC agora falha em fogo no palheiro, tá certo o mestre, ainda que tarde. O palheiro deveria ter sido queimado em 2005.O cara com os 2 milhões é ex-tesoureiro do PT em Mato Grosso e indicado pelo partido na Eletronorte. Onde há Merdadante, tudo pode acontecer. Já li que a grana é de uma político paulista, que faz dobradinha com o bigodudo.

Por isso, Perozzito, meu amigo, que eu acho que o mensalão é muito mais grave do que o Color ou o Barbalho. Estes fizeram por, digamos, ambições pessoais, já o bando da estrela (versão moderna, pobre e sarjetana do Bando da Lua) faz pela causa, isso é muito, mais muito mais perigoso para o país. É a causa da eterna felicidade terrena, coisa que nem eles mais acreditam, mas que engana toda essa trouxalha das ruas militantes, que justifica qualquer coisa.Algumas como a cidade de Santo André sabe bem, pavorosas (7 vidas até hoje e não era gato)

Essa gentalha tem a certeza da posse exclusiva da verdade. Se a verdade é por nós quem será contra nós? Sacou, meu velho? E a Jerusálem a ser tomada dos infiéis para esta gente brasileira, cubana, venezuelana, bolivariana, européia e todos os demais insetos rasteiros do mundo se chama Estados Unidos.Puxa, faz tempo que não elogio meu amigo e financiador George Keep Walker.

Fazendo bom uso da frase de minha tia preferida, tia Margô (leia-se Margareth Thatcher), falando de Gorbatchev: o problema é que ele acha que aquilo tem concerto, ele não vê que aquilo é o problema.

É isso, meu velho, te vejo na 51.

 

 

 

Voto no Nine Fingers, mas não sou besta, Sassa. Para saber que a condução da economia foi pífia, basta ver o quanto nós crescemos. O nó da questão é chegar a uma fórmula de crescimento que não signifique o fim dos gastos com programas sociais. Essa história de "güenta aí, que daqui a vinte anos as coisas vão ficar uma beleza" não dá mais. Lula vai ser reeleito pela população pobre do Nordeste, e por razões absolutamente legítimas. Multiplicou por cinco o gasto com programas de transferência de renda, e isso não é pouco. É claro que não basta. Se não produzirmos, não teremos o que transferir. Para produzir mais, acho que temos que fazer três coisas. Em primeiro lugar, sermos mais simples. Desburocratizar. Em segundo lugar, parar de enfiar dinheiro em universidades de araque, e começar a investir pesadamente num ensino médio de qualidade. Formar bons técnicos. Finalmente, estabelecer que as pessoas só podem se aposentar aos 70 anos. Homens e mulheres. Porra, Sassa, a gente vive em média cinco anos a menos que elas, e elas se aposentam cinco anos mais cedo. Não é justo. Se o Nine Fingers vai fazer alguma coisa neste sentido? Olhe, não sei. Ele tem pouquíssimas qualidades, mas uma delas é um senso prático admirável. Viu de cara que Paul Singer e similares deviam ser solenemente ignorados. Sabia que o FHC estava no caminho certo, e tratou de copiá-lo como pôde. Nem o Maílson da Nóbrega teria sido tão ortodoxo. Torço para que dona Dilma e seu Mantega dêem as cartas. Se derem, acho que temos boas chances de melhorar.

Fim da Greve

Parou por quê? Por que parou?

(Leia o texto abaixo com a língua plesa)

Companheiro Perozzi, é hora de acabar com a nossa greve neste blog, voltemos à ativa em homenagem aos 3.600 operários que serão demitidos pela Volks. Uma pequena amostra do que a política econômica do seu candidato está fazendo, ele que já foi, pelo menos é o que dizem, um deles um dia. Mas aquele dedo minguinho da mão esquerda (?) perdido acabou com sua carreira e permitiu novos desafios, como dizem alguns caras do mercado financeiro quando tomam um pé na bunda do patrão. Decidi aceitar um novo desafio!Tem lá sua verdade: é o desafio de viver sem salário.

Se sou o Alckimn boto isso todo na propaganda política. As empresas perderam competitividade com o dólar tão baixo e tanto custo, uma abraço para as exportações e para os emrpegos. É só o começo.

Buenas

[ ver mensagens anteriores ]