Agatha e o Dossiê

Agatha não curte amadores

Voltei a falar com o além-túmulo para saber a opinião de minha amiga Agatha Christhie sobre a operação dossiê, que saiu pelo culatra.

Agatha - Sassa, minha vida, sabia que, depois de nossa conversa de ontem, sonhei a noite toda com você?

Sassa - não se preocupe, querida, acontece com todas. Mas, me diga, e este crime do dossiê, o que deu errado?

Agatha - ah, a moçadinha é pra lá de primária, amadora mesmo. Veja só, todos estão na faixa dos 40/50 anos, viram muito filme de espionagem antiga, tipo 007, Flint, etc. Aí decidiram fazer o pagamento por troca de malas, exatamente como se fazia na década de 50, geralmente em num ferryboat, trem ou parque.

Sassa - mas a idéia continua sendo boa, não?

Agatha - claro, queridão, mas com o tamanho que dizem que São Paulo tem precisava fazer isso num hotel com câmera de segurança?

Sassa - bingo!

Agatha - tem mais lambança aí. Você combinaria um crime por telefone com pessoas sob investigação de uma CPI e na mira da PF?

Sassa - puts, que mancada!

Agatha - e você sacaria dinheiro de bancos com notas em seqüência, reais e dólares. Pior, os idiotas esqueceram de tirar as cintas que identificavam os bancos do saque. Só faltaram fazer um documento do acordo e registrar em cartório.

Sassa - e qual seu veridito final?

Agatha - mil perdões pela linguagem chula, mas isso foi uma PUTA CAGADA.

 

Companheiro jader

Jader, o imperador no norte, recebe a caravana da cidadania.

Pinto está certo sobre FHC e Lula. Ambos entregam a SUDAM ao Jader. A diferença, e que diferença, é que FHC só entrega e Lula entrega beijando a mão do homem. Pelo amor dos meus filhinhos, diria Sílvio Luis, isso é demais para mim.

Aliás, o gesto é muito significativo. FHC entregou muitas estatais aos aliados, mas mantinha seus homens vigiando. Lula entregou e esqueceu do assunto. E quando ocupa posições com petistas, são 30 mil mamando no estado 'deste país', coloca semi-analfabetos como este diretor do BB, pego no caso do dossiê. A Haroldo Lima, ex-deputado não reeleito do PC do B de Bosta, foi dada uma das agências reguladoras(a  ANP), justamente o que não se deve fazer com elas, politizá-las. Depois reclamam que falta investimento. Quem vai investir num setor cuja agência que define as regras é controlado por um tipo desses?

Debate Final

Os baixinhos não erram

Assisti a quase todo o debate. Bem, confesso que intercalei com pedaços de documentários do History Chanel sobre guerras. Não sei se você percebeu, mas adoro guerras, sobretudo aquelas das quais não participo.

Os comentários abaixo serão os melhores do universo internáutico, nem perca seu tempo lendo outros, e foram feitos pelo baixinho de 3 anos e 9 meses que é a alegria do lar:

Christovan fala e ele comenta:

- Papai, este é o Serra, em quem você vai votar?

Agora é Alckmin mandando brasa:

- Papai, quem é esse aí?

Por fim, Helô com o capeta na telinha:

- Papai, como essa mulher é brava!

- Calmaaaaaa!!

- Sossega o facho, mulher!!

CONCLUSÃO: DOMINGO, DÁ LULA!

Disque 111 para matar

Agatha e o crime perfeito.

Certa vez, nossa primeira comentarista, Cris, perguntou:como pode um  quinteto de dois? Tivemos que explicar que incorporamos algumas entidades (nada a ver com ONGs, pelo amor de deus!) do além-túmulo.

 

Bem, ontem, estava tentando incorporar alguma entidade que me desse os números da megasena (29 milhões não resolvem, mas ajudam) e acabei incorporando minha velha amiga Agatha Christie. Já que a grana não viria mesmo, aproveitei para bater um papo sobre crimes passionais.

 

Agatha – Sassa, meu amor! Que bom falar com você depois de tudo aquilo. Uau, você continua um gato. Conte-me uma coisa: você continua fazendo tudo aquilo com suas mulheres?

 

Sassa – bem, gatha, obrigado pelas suas palavras tão amáveis e justas. Na verdade, o mundo mudou muito. Hoje, fica difícil ser o mesmo, as mulheres vêem muita novela, ficaram trágicas, qualquer separaçãozinha é a morte, às vezes chega a ser mesmo. Hoje, é meu approach tem que ser mediano e olha lá. O risco é muito grande.

 

Agatha – uau, serviço mediano de Sassa já é o paraíso. Por falar em paraíso, acompanhei de perto este crime do coronel, primário, não?

 

Sassa – pois é, minha querida, o mundo moderno trouxe técnicas de investigação muito eficientes. Veja só, como fugir do chumbo nas roupas? Joga na lareira, é eliminação de prova que a câmera já captou? O que fazer? Usar Cândida? OMO DUPLA AÇÃO? Minerva? ODD? Contrata uma lavanderia? Uma mãe criminalista? Não tem jeito, o criminoso é sempre descoberto.

 

Agatha – elementar, meu caro e tesudo Sassa. Os meus criminosos eram melhores. O mundo moderno trouxe inovações para ambos os lados. A polícia tem o chumbo e o criminoso o prêt-a-porte.

 

Sassa – ops, essa não peguei, amor.

 

Agatha – simplééérrimo, como diriam as dazluzetes. No meu tempo, não tinha chumbo nas roupas, mas as roupas eram feitas sob medida e à mão.

 

Sassa – é verdade, mas é daí?

 

Agatha – hoje tem chumbo, mas tem o prêt-a-porter. Explico: compra-se dois conjuntinhos exatamente iguais. O primeiro usa-se para cometer o crime, o segundo entrega-se para a polícia. Sacou?

 

Sassa – um crime perfeito!!

 

Agatha – quase, meu amor, para ser perfeito melhor pedir para mamã comprar o segundo conjunto em outro shopping. Beijos, meu gato! E cuidado com as separações, embora o desejo de ter você aqui ao meu lado seja enorme. Aí ,sim, isso aqui seria um verdadeiro paraíso.

Pensando bem...

Sassa's Solutions Inc.

Lula deve ser reeleito domingo. Não deve haver segundo turno. Muita gente tem mandado mensagens dizendo que agora ele não vai ter como dizer que ele recebeu uma herança maldita do governo anterior.

Pois é, tendo por base a cara de pau fenomenal dele, que já supera a do Maluf, achei uma solução: ele pode tranquilamente continuar a dizer que recebeu uma herança maldita do governo anterior. Aos atônitos poder dizer: tá certo, foi meu próprio governo que construiu esta herança, mas eu nunca soube de nada, ninguém me contou nada sobre isso.

Rereeleição

Fácil está pergunta do Weiss. Não há necessidade de agumentos formais, se nine fingers tiver maioria basta propor e aprovar a emenda constitucional. Faz parte do jogo democrático.

Aquela historinha contada pelos petistas de que FHC comprou deputados para aporvar a emenda é bobagem. É provável que o tenha feito para outras coisas, mas para isso não precisava. Na época, todos os governadores e prefeitos do Brasil, que tem seus controlados na Câmara, tinham grande interesse na aprovação. Nem precisava se esforçar.

Passa na Câmara, não passa no Senado.

Finanalmente, agora somos todos humanos

Que beleza! Descobrimos o lado Stalinawski do Perozzi. Subtextos, pretextos e por aí vamos. O único risco em relação ao lado interno da personagem e quando isso recai em seu intestino.

Acho que você está certo em relação à discurseira do PSDB no mensalão. Foi muito barulho, muito cálculo e pouca ação. Deveriam ter sido legalistas e ido para o impeachment. Teria sido um grande avanço para a democracia brasileira dar um pé na bunda de quem sempre tentou dar uma rasteira na nossa democracia, deste quando ela ainda era um embrião (eleição do Trancredo). Por muito menos, e bota menos nisso, empurraram o Collor ladeira abaixo. Teria sido muito didático mostrar que govenos corruptos de direita e de esquerda devem cair quando apanhados. Mas, claro, a esquerda (incluindo partes do PSDB, PPS, PDT, etc) ainda vêem Lula como o operário que chegou lá e, como disse FHC, seria ruim um impeachment do primeiro presidente que veio das classes populares, onde mora todo o bem e toda verdade terrena. Bobagem das grandes, que eles só descobriram este ano. É o preconceitro de classe ao contrário, é a má consciência católica dessa gente. No fundo eles também se sentiam culpados por toda aquela sujeita, o que é o catolicismo senão a culpa que nos acompanha eternamente?

Linda sua descrição sobre a tal postura ética do PT que se dirige a toda a nação. Eu diria que é o mesmo mecanismo do Maluf faz, faz. O problema, meu velho, é que este discurso petista serviu exatamente para a inquisição que instalaram no país desde o nascimento do partido.Muita gente boa pagou por este discurso falso, ponto alto da arrogância messiânica dessa gente. Cito uma delas: Luiza Erundina, uma mulher que admiro pra cacete e que foi jogada aos leões por Lula e cia. É absolutamente maravilhoso, depois de tantas fogueiras petistas, ver os incendiários ardendo na própria chama, queimando vivos na fogueira de suas mentiras, nas labaredas de suas malandragens. Nisso recorro a santa Bíblia: olho por olho, dente por dente.

Que bom que depois de 25 anos, os petistas tenham se revelado seres humanos, não são mais aqueles deuses da ética, da justiça, monopolistas da vontade popular e da divina também. Como é bom ver um Merdadante alquebrado, envergonhado por ter sido pego, de cabeça baixa no debate de terça-feira fazendo parceria com Quércia. O mesmo Merdadante, senhor do universo, populista de terceira naquela cena rídicula da caneta do Malan e o salário mínimo.

Meu amigo, o grande mérito do mensalão é que fez do Brasil um país bem melhor, mais justo, mais igual. As consciências estão aliviadas, libertas do complexo de inferioridade diante dos mitos petistas. Foi o maior programa de igualdade que 'este país' (como diz o nine fingers) já viu, pois hoje somos todos seres humanos.

E se...

Reproduzo, aqui, a perguntinha inocente feita pelo Luís Weiss no Estadão de hoje: e se o Lula resolver copiar a estratégia do FHC, mandando para o Congresso uma emenda que permita a SEGUNDA reeleição? Certo, Sassa, já sei que, se isto acontecer, você considerará seriamente a possibilidade de se estabelecer com a família numa ilha deserta no sul do Pacífico. Mesmo assim, ficaria no ar a pergunta: de que argumentos "formais" um tucano poderia se valer?

P.S.

Tô rindo até agora com aquela história da "trompa de pinóquio" que você casquetou lá no blog do Zeno. Se não fosse tucano, Sassa, eu me apaixonaria por você!

E tem boteco, sim, no final de semana. Prepare o Engov.

Nem Jefferson, nem Barbalho

Não acho que o PT seja mais ou menos ético que o PSDB, Sassa. Se me perdoar uma expressão monstruosa, eu diria que ambos têm um "subtexto" diferente. Subtexto é aquilo que os atores pensam enquanto estão em cena - aquilo que está por trás de suas palavras, e que compõe o lado interno do personagem. Fulano traído está diante do Sicrano traidor, e tem que, naquela cena, limitar-se a dizer "bom dia" de maneira polida. Ao mesmo tempo, tem que passar ao público seus sentimentos. Então, diz o seu "bom dia" protocolar, pensando "ainda te pego na curva, seu safado filho de uma puta". Assim como o público do teatro é perfeitamente capaz de escutar o subtexto de um bom ator, os telespectadores do Jornal Nacional escutam com nitidez o subtexto de políticos talentosos como Lula, Maluf e FHC. De maneira mais ou menos articulada, põem os subtextos em confronto, e fazem sua opção.

Quando disse que o PSDB é o partido da legalidade e o PT é o partido da ética, eu queria me referir a isto. A justificativa de fundo do PSDB é de natureza formal, legalista. A do PT é de natureza fundamentalmente ética, e não tem nada a ver com a ética dos bandos e quadrilhas. É uma postura ética que se dirige não apenas aos membros do partido, mas a toda a nação. Você pode concordar ou não com ela, mas ela está se apresentando ao seu julgamento, como cidadão, e não apenas ao julgamento dos componentes do bando. Quando o PCC mata um membro de um bando rival, não pretende que sua atitude possa ser justificada do ponto de vista de quem lê o noticiário policial. Quando um sanguessuga garfa uma beirada da grana da saúde, também não. O subtexto de um membro da máfia das ambulâncias não tem nada a ver com projetos nacionais, ou coisas do tipo. Lá no seu íntimo, o que o larápio está dizendo é algo como - "xi, cacete, me pegaram com a boca na botija!".

Acho que, quando o PSDB optou por reproduzir o ramerrão ético do PT de antanho, errou duplamente. Errou, em primeiro lugar, porque encarnou o sujo falando do esfarrapado. A população percebeu isso imediatamente. Ver o Bornhausen fazendo pregações éticas na TV é algo que suscita reações que transitam no espectro que vai da gargalhada ao vômito. Acima de tudo, porém, o PSDB errou porque essa discurseira ética pegajosa tira o foco daquilo que é essencial. Ao invés de discutir a ética na política como se ela devesse ser uma espécie de eflúvio de subjetividades virtuosas, deveríamos estar discutindo a construção de condições objetivas para que a formação de maiorias no Congresso não tenha que passar necessariamente pelo loteamento do Estado.

Lula fez um governo com altos e baixos, exatamente como FHC. Nenhum dos pontos mais baixos do governo Lula está sendo tematizado nas críticas feitas a ele. Educação, segurança e política externa são bons exemplos, para não falar no crescimento econômico pífio. O Bolsa Família foi, de longe, a maior realização desse governo. Votei no Barbudo na esperança de que a situação das famílias atendidas pelo programa melhorasse um pouco - que as pessoas tivessem o que comer, onde morar, e coisinhas básicas desse tipo. Concordo que o país tem que crescer, e que o ideal é que, no futuro, ninguém mais precise dessa ajuda. Enquanto o futuro não chega, porém, as pessoas têm que ter condições mínimas de levar a vida com dignidade.

Enfim, não voto no Nine Fingers achando que o mensalão é uma coisa maravilhosa. Voto apesar do mensalão, e esperando sinceramente que políticos bem intencionados como o Lula, o FHC, o Suplicy e o Serra consigam unir-se em torno de uma fórmula que permita jogar o jogo sem entregar a Sudam nas mãos do Jáder Barbalho, nem o botim das estatais nas mãos do Roberto Jefferson.

Amapá Urgente!

 

 Essa é a idéia. Vigiar o homem passo a passo.

Catso, quando não durmo fico alucinado. Trabalho que nem um doido, como se pode ver, para o blog.

Mas eis que José Sarney, o nosso acadêmico de Marimbondos de Fogo, pode perder a eleição no Amapá. O homem está tão desesperado que conseguiu censurar um blog de uma jornalista. Vamos acender todas as velas, brancas e pretas, para que este senhor conheça a aposentadoria, ainda que tardia.

Doce Dossiê.

Sargento Schultz: no sei de nada, no vi nada!!

Como o UOL é uma merda, comecei o post de baixo a 1h15 e só acabei lá pelas 3 da manhã. A cada 10 minutos de redação, é preciso salvar. Já estou no trabalho desde às 8, conspirando é claro. E cadê você, Perozzito? Ah! Deve ter passado a noite na gandaia gastando a grana do Bolsa Família de setembro.

Lembra-se do Sargento Schultz? Ô, Corronelll Klinnnk, no sei de naaaada, no vi naaaada.

Lembra algum presidente latino-americano?

Sabe, desta vez, eu acredito que o Lula não sabia mesmo deste dossiê. Não é possível que com a eleição ganha, e ainda acho que leva no primeiro turno com folga, ele fosse se meter numa enrrascada dessas. O homem tem defeitos de sobra, mas burro não é. Mesmo que não tivesse dado errado como deu, ele não se beneficiaria tanto. E o Serra dificilmente deixaria de levar o governo de São Paulo. Então o que se passou?

Façam suas hipóteses, senhores!!!!

Lei X Ética

PQP, Perozzi, você começa com "sem palavras", penso que terei um dia tranqüilo e vem você com este romance freudiano. Aliás, sonho sem sexo não serve para nada em análise (regra sassaroliana). Sei lá, me deu a impressão de que você quis dizer que é tudo a mesma merda. Se foi isso, não foi isso. Tem ali uma sacanagenzinha para me pegar, conheço meu velho amigo. O tucano quer "fechar as contas", enquanto o petista quer "levar um pouco de justiça ao povo". Paulo Francis diria aquele seu característico OH!OH!OH!. Que saudades dele!

Ou seja, o tucano é o canalha frio e calculista (fechar as contas? não tinha uma pegadinha melhor, seu safado?) e o petista é o canalha do bem e preocupado com o povo. Jogou os dois na fossa aberta da américa latrina (PF de novo), mas, malandrinho!, deu um salva vidas ao mano petista. Come merda mas vê se não afunda, companheiro.

Aos desavisados, a situação do amigo Perozzi é pior do que se pode imaginar. Não é petista, mas vota no Lula. Acontece que, sujeito libido-trágico, precisa acreditar em alguma coisa para manter a esperança de ver isso aqui melhorar. Lidido-trágicos só têm perpectiva do mundo em salto, ou saltam sobre a amada ou saltam no abismo da depressão. Mas é um grande amigo que guardo no coração como poucos. Como amigos são uma das três pilastras que mantém a felicidade da vida em pé (as outras duas são a família e o viagra), só me resta agüentar o cara.

Mas, considerando que você quis dizer que um rouba pensando na legalidade e outro pensando na ética. Resta-me tomar um posição sobre os seus sonhos. Eu prefiro o tucano, porque prefiro a lei à etica. Antes, deixe-me dizer que não me iludo com tucanos, há ali de tudo. Coisa boas e coisas horripilantes.Outreo dia aida chamei o PSDB de Partido Só De Bundões.

Simples, com todos os defeitos que se conhece, a lei é uma regra clara estabelecida pela sociedade, debate-se, ainda que mal, mas há espaço para a todos pressionarem segundo seus interesses. Puts, não me venham com este lero-lero de que só os poderosos é que mandam. Peguem as leis aprovadas e verão que não é bem assim. Já a ética pode ser uma construção de um determinado grupo dentro da sociedade: a máfia tem sua ética, o PCC tem sua ética, a TFP tem sua ética, etc. Certo, há muita coisa em comum, mas há muitas diferenças.

O perigo é que um mafioso afoga um desafeto na banheira e isso não fere a ética de seu grupo, exceto, por exemplo, se enfiar um LUX de LUXO na boca do morto, é humilhação que não se faz nem a um inimigo. Um milico argentino leva um militante de esquerda para dar uma passeio sem volta sobre o mar e isso não fere a ética de seu grupo.

Da mesma forma, Waldomiro, Delúbio e tantos outros não feriram a ética do grupo, pois roubaram pela causa, do que ainda duvido. Para o país isso é muito perigoso, um partido que toma para si o monopólio da ética, coloca todos os demais na lama, não quer democracia, quer ser único. Já lhe disse, ladrão é ladrão, é meu dinheiro que está indo e quero ver o canalha na cadeia, seja tucano ou petista. Mas também, ao contrário do amigo, acho Jader e Maluf menos nocivos ao país do que os operadores petistas - uau, foi generoso agora. Os tradicionais larápios enchem suas burras, podem não ser pegos, mas são manjados, não vão longe. Já o partido vai tomando a máquina do estado, vai ocupando a consciência das pessoas, vai ditando regras a todos, vai impondo seu modo de pensar. Aqui mora o perigo.

Ou você vê grande diferença entre Médici e Zé Dirceu? Do ponto de vista das potencialidades são a mesma coisa. Médici teve a oportunidade, Dirceu ainda não. Dir-me-ão que Dirceu não é o PT, mas é lá que ele cresceu, o ambiente é propício, eis o perigo de que falo. Marxismo com cristianimso barato dá nisso. É uma ética da igualdade pela origem. Lula não se diz mais ético do que toda a oposição à toa. Pela ética deles, sua origem o coloca acima de todos os demais. Se o Setubal disser que 2 + 2 é quadro e ele disser que é 5, no PT será 5.O povo eleito por deus é o povo pobre. É Frei Beto na veia, meu velho. Marxistas e teólogos da libertação se consideram os monopolistas dos pobres, só eles falam em nome dos pobres.

Flanklin Roosevelt, que talvez não chegasse a ser um WASP, mas sem dúvida era da alta elite americana, foi um dos políticos que mais fizeram pelos pobres na história. Este negócio de que Lula é um dos nossos é balela. Lula diz ser um, mas é um classe média sustentado pelo imposto que pagamos há 25 anos. Foi criado pela ditadura e teve a cara de pau de pedir indenização pelos prejuízos que ela lhe causou. Ele está há mais tempo sem fazer nada do que eu trabalhando. Como diria o Justo Veríssimo, como bom brasileiro que é, ele quer é se arrumar. A Gamecorp está aí para provar o que digo. Tenho nojo desta ética marxista-cristã que tenta me fazer culpado pelo Marcola ter tomado o caminho que tomou na vida. Pago meus impostos, voto em caras razoáveis. Lembro-me de Covas visitando uma Febem rebelada, provavelmente instigada pelas ONGs de sempre, quando foi peitado por uma mãe lhe cobrando providências. O grande Covas lhe deu uma peitada ainda maior e lhe cobrou o fato de ter posto um filho no mundo e tê-lo deixado se perder. Claro que tb é culpa do Estado, mas também é do pai e da mãe. Apenas idiotas mentais são ininputáveis, e é assim que os marxistas-cristãos tratam o povo, ininputáveis e, portanto, idiotas. Só para lembrar, Lula ao assumir acabou com os programas sociais do FHC para impor o Fome Zero, que queria distribuir comida aos pobres e não grana como FHC fez, uma sacada genial do príncipe. Por que não distribuir grana? Zé Graziano dizia que os pobres gastavam em supérfluos, como pinga, etc. Eis a concepção de povo desta gente. Depois de ver a furada, uns 2 anos depois, Lula retomou os programas de FHC, uniu alguns, mudou de nome e ampliou. That's all folks.

Tenho um amigo que foi aos rincões da Bahia e do Tocantins fazer uma pesquisa para um projeto que está desenvolvendo. Ao chegar à noite numa pousada no interiorzão de Tocantins, queria jantar, mas a dona disse que a cozinha estava fechada à noite. Sabe por quê? Falta de mão de obra. Sabia que no Tocantins tem pleno emprego? Ao entrevistar as pessoas (as entrevistas eram com pobres mesmo) ele perguntou se não se interessavam pelo emprego à disposição. Resposta comum a todos: Cê tá loco, moço! Se pego o emprego perco o Bolsa Família e para ganhar só mais um pouco. De jeito nenhum.

Sou totalmente a favor de programas sociais, mas sem contrapartida o cara vai deitar e rolar. Sacanagem do povo? Não, inteligência. Os economistas diriam que agem como seres racionais que são. E o Zé Graziano não sabia disso. Nós faríamos a mesma coisa. Qual o problema então? Fácil, os programas não são sustentáveis nem a médio prazo, são puro populismo eleitoreiro. Deve-se cortar? Não, mas pensar numa forma inteligente de não perpetuar a pobreza, a miséria, o analfabetismo. Ihh, isso o Frei Beto e os teólogos da libertação não vão querer, de onde virá sua massa de manobra, o que será de suas vidas.

Para terminar,  vamos tomar umas no sábado?

Sem palavras

O PSDB, Sassaroli, é o partido da legalidade. O PT é o partido da ética.

Abraçado ao travesseiro (mordendo a fronha, de raiva), o tucano diz o seguinte para si mesmo: "Tudo bem. Trocamos votos no Congresso por cargos e liberação de emendas. Compramos um votinho aqui, outro ali, mas foi só para fechar as contas. Meia dúzia, no máximo. Corrupção episódica, e não sistêmica, como bem ressaltou nosso doctor subtilis. Está certo. Ninguém é besta. Todo mundo sabe por que os cargos e as emendas são tão disputados. Mas foi tudo feito dentro da lei, respeitando as instituições. Se os favorecidos usaram as indicações para achacar fornecedores, superfaturar campanhas de publicidade, ou tirar uma "beirada" das emendas, o problema já não é nosso. É do Judiciário. Fora da Lei, mesmo, só teve o caixa 2, que é crime eleitoral, e não crime comum. Além disso, só envolve dinheiro privado (sei...), e não dinheiro público."

O petista diz o seguinte: "Roubar, não roubamos. Fizemos o jogo que tinha que ser feito para governar o Brasil com as regras que estão aí. Se alguém embolsou algum dinheiro, merece nosso desprezo. Nossos heróis são o Delúbio, com seu sitiozinho modesdo, o Genoíno, que trabalha de havaianas, e até mesmo o Waldomiro Diniz, que, mesmo podendo ficar milionário pedindo os 10% de praxe, só pedia 1%, para o leite da família. Legal não é, mas até aí morreu o Neves. Essa legislação foi feita por corruptos para corruptos. É uma legalidade imoral. A única maneira de mantermos a postura ética correta, nessa situação, era andar pelas brechas do sistema, e usar os quatro anos no poder para levar um pouco de justiça ao povo. Fizemos, continuaremos fazendo, e faríamos dez mil vezes novamente, se preciso fosse."

Os dois discursos andam de muleta sobre a areia fofa, para dizer o mínimo. Mas o discurso petista, menos formal, menos ligado a instituições abstratas, e mais recheado de sentimentos éticos, tem um apelo muito mais direto junto à maioria das pessoas. Partir para a condenação ética foi a pior cagada que os tucanos fizeram. Já era hipócrita na boca do FHC. Na do Bornhausen, ficou beirando o nonsense.

Só queria que algum sociólogo explicasse um dia como é que coisas que nunca são ditas acabam sendo ouvidas com tanta distinção.

Los Indios Tabajaras

Já tinha ouvido esta paródia no rádio, não sabia que tinham feito um vídeo. Mas como gosto de dar umas bordoadas com luva de pelica segurando uma borracha da PM em meu amigo Perozzi, que fica procurando este tipo de coisa no Ytube, aqui vão dois vídeos da dupla Los Indios Tabajaras, o primeiro estou chupando do blog do Nassif.

http://www.youtube.com/watch?v=tdYF5gZckmk

 

http://www.youtube.com/watch?v=7dGorvfiwT0

 

 

Tudo cai, só a ansiedade de Perozzi que não.

Perozzi no Planalto no lugar de Lorenzetti

Perozzi, vejo que o desespero eleitoral tomou conta de sua pessoa. Lula cai, Crivela cai, Sarney cai, Newtão cai, Merdadante não sobe e Perozzi se desespera. Quer mandar seus desafetos para o pelourinho e recomenda chicote no lombo. Você está mais lulista do que a encomenda.

Este blog apurou que você foi alçado ao cargo de novo churrasqueiro do Lula. Não desminta que temos a foto.

Vai, Sassaroli... Vai....

Sassaroli não tem limites. Faz qualquer coisa pelo Tio Sam. A última dele: infiltrou-se no MSTV (Movimento dos Sem Terra Nem Vergonha) usando um codinome antigo, dos tempos de Faculdade. É conhecido no campo como "Wilson, o Cowboy". Companheiro Berzoini, que está organizando um dossiê a respeito das atividades do maldito, enviou-me um vídeo de um dos membros do movimento já completamente corrompido pelos movimentos do membro. Custou-me apenas duas pingas e um ovo cozido, lá no Beco dos Ratos. Confiram, please.

http://www.youtube.com/watch?v=qjjTobhWFak

Laudelino ou Caldas

Ah, não. Nessa, eu tenho que dar o meu pitaco. Não dá para começar a comparar o Laudelino com o Caldas Ao Leite. O Laudelino é único, espetacular. Não é só um dicionário para ser consultado. É um dicionário para ser lido. Devido às proporções dos cartapácios, tenho em meu banheiro uma escadinha de três degraus que todos pensam que serve para trocar lâmpada. Nananina. Serve de mesinha, quando resolvo carregar comigo o Laudelino. O que ele tem de diferente? A profusão de exemplos maravilhosos, tirados da literatura. Dois, três, quatro para cada acepção da palavra. O Caldas Ao Leite é bom, mas não chega aos pés. É burocrático e chato. Consultável, mas ilegível. Compará-los é heresia. Na República dos meus sonhos, a pena poderia chegar a cinco chibatadas, seguidas de duas horas de execração pública no pelourinho.

Dicionários

http://www.ibilce.unesp.br/~horta/dicionario/index.htm

Classificação:

Já que falamos em dicionários, descobri esta página da UNESP que faz alguns comentários interessantes sobre os principais dicionários de língua portuguesa. Mas senti falta do Silveira Bueno, só falam do escolar.

Caldas ou Laudelino?

Zeno, meu velho, agora você me pegou. Qual dicionário é melhor? Laudelino Freire ou Caldas Aulete? Como você sabe, sou das antigas. Nem por um caralho troco meu bloco de notas e minha caneta tinteiro pelo Word. Muito menos meus dicionários em papel pelos eletrônicos. Na rapidez do dia a dia, tudo bem!, consulto o Houaiss que o Perozzi me presenteou, mas, sempre que dá, pego meus meninos na estante e fico pesquisando calmamente. Da língua portuguesa, tenho o Morais (na edição de 1922), o Laudelino, o Silveira Bueno (edição grande de 9 volumes, acho), o da ABL (feito pelo Antenor Nascentes), o Pequeno Vocabulário do Aurélio, o Aurélião (autografado pelo próprio, que surrupiei de mi padre), o Houaiss, o etimológico do Antenor Nascentes. Tenho todos os acháveis, menos o Caldas Aulete e o Cândido Figueiredo. Pelo que ouvi ao longo dos anos, o Caldas é muito bom, a diferença é que o Laudelino foi o primeiro dicionário feito no Brasil e a incluir brasileirismos. O Caldas teve edições brasileiras modernas, é bem provável que tenham incluído termos brasileiros também. Só não comprei o Caldas ainda por falta de espaço em minhas estantes. Só para facilitar a sua vida, acho melhor ter os dois.

[ ver mensagens anteriores ]