ASSUNTO NOVO

Vamos mudar de assunto, que ia eu muito bem neste blog (quase sempre sozinho, é verdade) gozando de deus e todo mundo até o Perozzi vir com sua visão futebolística da eleição e me obrigar a dar umas voadoras (doublenelson, segundo ele que conheceu Noé e suas noezetes) em seu peito, além de uma chaves de perna, cuidadosamente assessoradas por um dedo no olho.

Estava eu hoje num café, daqueles com livro para se comprar, e eis que vejo uma mulher checar na máquina o preço do livro "A Vida Sexual da Mulher Feia" (Cláudia Tajes, R$24,90) no site da Cultura. Como não tenho o que fazer na vida fiquei pensando em algumas coisas que poderiam ser ditas àquela simpática dama. Pensemos:

1) Se ela desse um caldo

- Boa noite, desculpe-me, mas não pude deixar de ver o livro que você tem nas mãos e muito menos deixar de lhe dizer que decididamente este  livro não combina nem um pouco com você.

Versão rapidinha: - não se deprecie mulher!

2) Se eu estivesse num dia ruim

- Boa noite, desculpe-me, mas não pude deixar de ver o livro que você tem nas mãos e muito menos deixar de lhe dizer que esta é a versão light, a hard sai na semana que vem.

Versão rapidinha: - tem a obra completa!

3) Se eu estivesse deprimido

- Boa noite, desculpe-me, mas não pude deixar de ver o livro que você tem nas mãos e muito menos deixar de lhe pedir para lermos juntos.

Versão Rapidinha: - aceita minha solidariedade?

4) Se eu estivesse muito tarado encoxando até a roleta do ônibus

- Boa noite, desculpe-me, mas não pude deixar de ver o livro que você tem nas mãos e muito menos deixar de recomendar que seria melhor ver o filme antes.

Versão rapidinha: - já comprou o manual do usuário?

5) Se eu fosse o indefectível Frei Betoso (sem o Ênio)

- Boa noite,companheira, que Deus todo poderoso me perdoe, secundado por você, mas não pude deixar de ver o livro que você tem nas mãos e muito menos deixar de lhe dizer que o que importa mesmo é a beleza interior do ser humano, que mesmo sem um namorado há oito anos, Deus sempre esteve com você.

Versão Rapidinha:- tem versão infantil?

Kimberly Clark

O que aconteceu? Virou sócio da Kimberly Clark? Quer que as pessoas consumam mais lenços de papel para receber mais dividendos?

Seu discurso tem um fundamento errado. Ele parte do pressuposto de que eu acredito que a turma do Partido Só De Bundões é limpinha à beça. Que nada, faço uma lista das coisas leves e você fica ruborizado. Aí está a falha petista, acreditar que os outros acham que só os petistas são corruptos, nãnãninãnã. Nisso são quase todos iguais, eis a grande derrota petista, como vocês querem desesperadamente provar.

Como já escrevi aqui, trata-se de uma máfia, ninguém entrega ninguém e as práticas e idéias falsamente nobres vão se instalando pela sociedade. Este é o grande risco, o partido é uma grande polvo que vai tomando sindicatos, universidades, associações classistas, igrejas, o que vier pela frente, você sabe muito bem o que digo. São fascistas, odeiam a democracia, tanto que a sabotaram desde sua fundação. Éramos, os não petistas, todos farinha do mesmo saco e eles os cavaleiros da salvação nacional.

O que me causa asco no PT não é a corrupção, ela foi só a forma mais simbólica de desnudar a grande farsa que é o partido. O que me dá nojo é  arrogância dos iluminados, é a o discursinho marxista-igrejeiro manipulador, são os métodos goebbelianos de tratar os adversários, é a instrumentalização das universidades e do saber em favor da causa, é a glamourização da mediocridade.Só que, não esqueça, tudo isso só era possível porque a máfia companheira metia o dedo no nariz de todo mundo se dizendo a guardiã universal da ética. Conseguiram vender tão bem este mito que mesmo a vida do nine, que é fraude sobre fraude, prática que já chegou à nova geração da casa dos da Silva, afinal ninguém puxa as próprias pernas, nunca foi investigada seriamente, e temos que agüentar um semi-analfabeto vomitar em nossa cara sua origem humilde e a vida de sofrimento, que parece continuar até hoje, como os pressupostos inatacáveis que o faz o porta-estandarte da verdade universal.

A corrupção é o caminho mais curto para deixar o PT nu e mostra seu projeto antiquado de país. São tão honestos que abandonam (2002) e retomaram o discurso rapidinho para espalhar medo pelo país neste segundo turno. Um projeto que quer dividir uma sociedade muito mais diversificada e complexa do que os tontos do partido percebem, mas a tática lhes convém, é bom para o partido criar antagonismos falsos para se aproveitar deles em eu favor, nem sempre do povo.

De minha parte, não tenho muitas ilusões, o PSDB, por ser Só De Bundões, vai cair na conversinha da concertação nacional. Serra e Aécio têm interesse nisso e, anota aí, serão traídos em 2010. É da natureza do PT a traição, o jogo baixo. Veja que lindo o que aconteceu no site do Partido com as notícias sobre os vestidos de dona Lu e o trabalho da filha na Daslu. Primeiro colocam, depois o generoso e cavalheiro nine pede para tirar. O petista é isso, nine júnior (ex-monitor de orangotangos) receber 10 milhões da telemar é ser Ronaldinho, a filha do Alckmin trabalhar na Daslu (eu aconcelharia a minha a não aceitar o trabalho, pois sempre se corrre o risco de acreditar na fantasia) é crime. Ah, e sobre os vestidos? Mesmo caso meu caro, tem uma primeira-dama que compra roupas finíssimas em loja certa e conhecida de SP e o galinheiro do marketólogo é que paga a conta, mas isso é normal.

O petista despreza o trabalho duro, ralar para caralho não é com ele, veja lá que não é por acaso que boa parte da militância é formada por funcionários públicos, que, embora haja muita gente boa no ramo, não é dado a grande esforços. Não é outro o motivo de tamanha grita contra provão e qualquer tipo de avaliação em universidade ou serviço público, se medir a coisa aparece e daí os parados vão ter que se mexer. E pregam: vamos falar lá que isso é neo-liberalismo, aliás tudo o que a gente não gostar é neoliberal e pronto.

Por fim, este discursinho conciliador que você sugeriu ao Xuxu, você deveria sugerir ao Lula. Ele poderia começar aceitando que o Brasil não começou com ele, que ele errou pra cacete contra os interesses do país no passado, justamente porque sempre se achou o iluminado e nunca sentou em um mesa para discutir seriamente nada que não fosse atacar traiçoeiramente seus adversários, mesmo que isso significasse prejuízos ao país. Então vamos mudar o título de seu post: Se ele não fosse o mau caráter e o arrogante que é . . .

Se ele não fosse o bundão que é...

Seria fácil atacá-lo no ponto em que você parece estar mais frágil. Meus marqueteiros me recomendaram que fizesse isso, e até treinamos bastante, na frente de um espelho, as expressões que eu deveria fazer em cada ocasião, as palavras que deveria utilizar, as coisas que não deveria dizer de maneira alguma, e por aí vai. Mas, olhe, meu velho, eu não dou para isso. Se tentasse, soaria falso, e essa maquininha maldita que nos leva à casa das pessoas é craque em detectar pequenas mentiras, pequenos deslizes. Magnifica tudo, você sabe. É um inferno. Há pessoas que conseguem mentir com perfeição diante das câmeras - você é um deles, aliás. Eu simplesmente não consigo. Não sou ator, como disse o FHC, esse aliado que, ao dizer que me apóia, mente, você sabe. Mas convence. Até nisso vocês dois são parecidos. Como não tenho talento para a coisa, vou me contentar em dizer toda a verdade, e deixar que as pessoas julguem quem é a melhor opção para o país neste momento.

Não sei se você tem alguma coisa a ver com esse dossiê, ou não. Desconfio que tenha, sim. Decisões sobre como usar 2 milhões de reais não são tomadas por "meninos", nem muito menos por "aloprados". Dois milhões é um bocado de dinheiro, meu caro. A cúpula do partido, e possivelmente você mesmo, em pessoa, estejam por trás dessa tramóia. Mas não vou posar de santo, até porque ninguém ali do outro lado acreditaria, mesmo. Eleições custam uma dinheirama, principalmente quando envolvem produções televisivas cheias de maquiagens e efeitos especiais. Tanto vocês quanto nós tivemos que recorrer a essas pirotectnias, e tivemos que correr atrás da grana prá pagar a conta. E você sabe como essa grana é arrecadada, no seu partido e no meu. Passamos o chapéu entre os empresários, e depois atendemos aos "pleitos" dos deputados ligados a cada um deles. Os cargos nas estatais, afinal de contas, estão aí para isso. O doador recebe o investimento multiplicado. Lucra ele, lucramos nós, e só mesmo o povo que está nos assistindo é que não lucra nada. Pagam a conta, coitados. Tenho alguns téoricos amigos que diriam que este é, afinal, o preço da democracia. Não é, não, Lula. E você sabe disso. Pode ter feito o que for, mas a verdade é que tem sido o único a defender uma reforma das regras de financiamento de campanha que poria fim a esse balacobaco todo: o financiamento exclusivamente público, com penas severas para quem for passar a sacolinha fora do combinado. Meu partido, você sabe, é contra. É contra principalmente porque aliou-se ao PFL, que vive às custas desse sistema por esse Brasil afora, nas prefeituras e nos governos estaduais em que conseguiu se estabelecer. Mas eu já disse que não vim aqui hoje para enrolar ninguém. Nâo tenho nada a perder, meu caro. Você está praticamente eleito, e o máximo que eu posso esperar, em 2010, é uma disputa da vaga para o Senado. Então, quero dizer que o apóio nessa proposta. Assumo aqui o compromisso de lutarmos juntos para mudar as regras do financimento de campanhas, e de não pensar nas vantagens que a minha turminha leva pela adoção destas regras, e não daquelas. Temos que acabar com essa safadeza que não é sua, nem minha, nem do FHC, nem do Collor, nem do Maluf. É uma safadeza do próprio jogo. Tem que acabar. Para você, para mim, pra todos.

Outra coisa, Lula. Quero reconhecer de público que seus programas de transferência de renda são um marco na história do Brasil. Pela primeira vez, foi dada à miséria do país a dimensão que ela realmente tem. Tudo bem, os programas foram desenhados no governo do FHC. Mas a escala dada a eles no seu governo não é um detalhe irrelevante. Nesta semana, a Veja (a Veja, veja bem!!!) entrevistou uma família do interior do Maranhão que irá votar em você. Recebem 100 pilas por mês. O chefe da família disse que vota no Lula porque pela primeira vez na vida pôde comer carne todos os dias. Tá errado? Errado estava quando votava em não sei quem em troca de uma cesta básica, ou de uma dentadura. Agora, vota, porque tem interesse nisso. Não o condeno de maneira alguma. Eu gostaria de dizer a ele apenas uma coisa. Se continuarmos marcando passo, e crescendo menos que todo mundo, daqui a pouco não haverá dinheiro nem mesmo para distribuir dentaduras e cestas básicas. A população cresce, e o país também precisa crescer. Além disso, quando perdemos mercados, as fábricas fecham, e os impostos diminuem. E o dinheiro do Bolsa Família sai dos impostos pagos. Não cai do céu.

Você não desarmou a armadilha dos juros, Lula. Esse foi o seu grande erro. Ou, melhor, não foi só seu, não. Foi nosso também. Não vou dizer aqui que os tucanos punham todas as esperanças no José Serra porque achavam que ele iria deixar tudo como estava no final do segundo mandato do Fernandão. Dentro do próprio PSDB, o Serra era a esperança de que as coisas mudassem. Havia a percepção de que aquela política do "deixa como está para ver como é que fica" estava nos levando ao buraco que você ajudou a cavar um pouquinho mais. Besteira sua ficar vomitando números, Lula. Se tivesse enfrentado as crises que o Fernandão enfrentou (cinco, uma depois da outra, lembra?), os números seriam outros. Melhores que os nossos? Isso só Deus sabe. Provavelmente, não. Igualmente medíocres, eu acho. Será que não?

Vou fazer, então, um apelo. Quem for votar em mim, não vote porque acha que eu sou "ético", e que o Lula não é. Isso é balela. Tanto eu quanto ele, pessoalmente, somos bons sujeitos. Gostamos do poder, gostamos de governar, mas damos um sentido maior a esse gosto. Mal ou bem, temos um plano para a nação. Votem porque acreditam nesse plano, ou pelo menos, acreditam em nossa capacidade de levar esse plano adiante. O Brasil, atualmente, tem três grandes problemas, e eles estão relacionados entre si: a miséria, a dívida pública e a violência urbana. Vou começar a falar a respeito de quais são minhas propostas para a solução desses problemas. Estou convencido de que tenho um plano muito melhor que o do Lula, e que tenho uma equipe muito mais qualificada para levar esse plano adiante. Escutem...

Futebolísticas

Meu caro, que bom que você assumiu seu petismo explicitamente. Era chato vê-lo cheio de muxoxos com aquela cara de culpa durante o mensalão, mas é claro que tudo era uma questão de tempo para a ideologia barata do partido voltar a funcionar sobre as consciências de sua gente e, hoje, todos já voltaram à praça das ilusões e do maniqueísmo leninista, sempre em defesa do povo sofrido, como deve ser, enquanto os companheiros se lambuzam na vida dos "piores" valores da burguesia.

Só assisti ao primeiro debate, e foi muito bom. Até mesmo o Xuxu, o cuzão, o bundão, o fraco, o merda, o coitado (termos usados por vocês petistas) conseguiu emparedar o Lula, que só sabia tomar água, e como tomava. Aquilo foi lindo, pois mostrou a farsa histórica que é o nine desde o nascimento, passando pela tão exaltada vida sofrida e terminando na orgia de corrupção que foi seu governo. Foi lindo ver Lula fazendo pipi nas calças, apavorado pelo primeiro homem que não lhe aceitou o argumento cristão-barato da origem humilde como base da valoração do mundo. A arrogância costumeira, a presunção da superioridade ética do bom operário foram pelo ralo e o cara suou como um porco velho na fila para o abate.

Não vi os outros debates, Xuxu voltou a ser o que era e isso não me interessa. Tanto faz quem ganha, meu velho, o que importa é quem manda. Anota aí, que o Sassa dá conselhos de graça.

Como discutir com militantes que entenderam que o Alckmin propôs a invasão da Bolívia? Quando na verdade ele cobrava um atitude descente e não ideológico-vagabunda do tipo: eles são mais sofridos e podem nos bater a carteira. E é bom a petistalha preparar a bundinha com muita vaselina, pois o companheiro Evo vem com mais nabo, sempre assessorado pelo outro de seus ídolos, Chavez.

Tá chegando a hora... rs...

A revanche é amanhã, né?

Menino... Vou assistir deitado numa rede, com uma agüinha de coco na mão...

Vai apanhar até ficar cru, o coitado...

Olêêê Olê Olê Olááá

Rá rááá... rá rááá...

Sorte não é para todo mundo

Sassa se esbalda com as tiradas perozzianas

Ei, meu velho, numa coisa você tem toda razão no telecatch. O Brasil é Lula desde criancinha, com certeza. Há 500 anos, como gosta de dizer o filho da mãe que nasceu analfabeta, quando ainda era pequenino, o Brasil já era Lula. Por isso deu neste grande país.

A Austrália, pobre coitada, que desde criancinha é canguru virou aquela croaca.

Já a Austrália . . .

A Pobreza a que Chegamos

O Petista é antes de tudo um Corrupto.

Aí, aí, que delícia ver a petistalha esperneando. Adorei a analogia com o telecatch. Claro, ninefingers é o Fantomas, o bonzinho, o deficiente físico (o nine é deficiente moral, como sabemos) que no final se vinga do mundo, redime a classe e vamos em frente. Cristianismo fajuto, só isso. A que ponto a pobreza petista chegou.

É o voto envergonhado. No domingo o cara vai sair de óculos escuros, boné, casacão e antes de votar vai checar se atrás não tem alguém ou uma daquelas câmeras escondidas. É, lembra-se? igualzinha aquela que pegou o Waldomiro, o Delúbio, o Gedimar, o Valdebran, o Hamilton e o ninefingers.

A petistalha formava a santa trindade (ética, justiça e merda no ventilador) que ia salvar o mundo com a mais profunda ética jamais erigida na história da humanidade, como tanto gosta de dizer o líder mor. Esta presunção do destino lhes dava o direito de enlamear quem bem entendessem, de bater em todo não petista, de pisar na cabeça de todo adversário, de estabelecer o certo e o errado na face da terra.

Algumas cameras michurucas bem postadas, que se compra aqui no coreano da Paulista por uns 12 conto, acabaram com 25 anos de embuste. O edifício petista era tão sólido e verdadeiro que bastou um bicheiro e uma camerazinha de araque para tudo virar um monte de merda, nada mais que isso. Era o projeto de um bando, de uma corja, como vimos. Uma máfia como eu apontei há algumas semanas com aquele texto sobre o politburo. Como sabemos, na máfia pode-se matar a mãe, mas jamais trair o grupo. Aqui se matou dois companheiros, mas o silêncio é total. O PT é tão medíocre que nem um Tomazzo Buschetta consegue produzir.

O petista é antes de tudo um corrupto, um corrupto de si mesmo, um corrupto daquilo que fala, um corrupto daquilo que prega aos quatro cantos, um corrupto daquilo que diz acreditar, um corrupto de sua própria pregação de 25 anos. E sabe-se que pior que enganar os outros é enganar a si mesmo, lá na frente a trombada é gigantesca.

No auge do mensalão a petistalha sumiu, se envergonhou, se recolheu para meditar (minha cota de bondade diária!), enrolou a bandeira e foi para casa ter com os seus. Mas bastou ninefingers ficar forte de novo e todos se entregaram ao carnaval despudorado da mentira deslavada retomarando velhos slogans tão batidos no passado (privatização, por exemplo). Problema de personalidade sério, como se vê, e de caráter. Veja-se que nem os eleitores do PTB, este exemplo de ética, elegeram tantos mensaleiros como a petistalha paulista. Só não reelegeram o Prof. Luizinho, por questões estéticas, acho, final o partido precisa de um retoque no visual.

De minha parte, estou satisfeitíssimo, pois hoje nenhum petistalha sequer me olha nos olhos. Pseudo-nazistas, como eu disse no início da campanha, FHC me deve essa.

Só não entendo você, que nem petista é, vibrando com esse lixo da quadrilha, na qual você nem milita.

Nine-Fingers e o telecatch

Lembra do Fantomas, Sassa? As regras da luta-livre, como diria o Arnaldo, eram claras. Não permitiam que o adversário fosse espancado nas cordas, o que fazia com que a luta ficasse pitorescamente próxima das brincadeiras de pega-pega; não permitiam os chamados "golpes sujos", como o "dedo-nos-olhos", e esmagamento de joelho, o catiripapo na fuça e o chute no saco. Não havia regras explícitas quanto ao karatê, mas uma jurisprudência aceita até mesmo pelos juízes honestos, como Armando Bueno, admitia que o golpe era proibido, por analogia, talvez, com o soco, considerado próprio do boxe, e não do telechatch.

Fantomas tinha uma deficiência física. Seus joelhos não dobravam. Ou seja, metade dos golpes "permitidos" pela luta-livre estavam fora do seu alcance. Não era capaz de dar "double-nelsons" (também conhecido como "dãblinélson", na curiosa pronúncia do locutor da época), nem tesouras voadoras. Estava restrito à imobilização do adversário, o que acabava acontecendo na maioria dos casos. Pior ainda, se caísse, não seria capaz de levantar, ficando à mercê do adversário, indefeso.

Sua arma secreta era o karatê. Se desferisse um golpe, a luta acabaria no mesmo instante, com o adversário desacordado no chão. Aplicava seus golpes de karatê com tranqüilidade, sem pressa, sabendo que, a partir dali, o resultado era certo. Geralmente, a luta acabava com um karatê na testa, considerado perigosíssimo pelos locutores, que davam a entender que o adversário que se expunha àquilo corria risco de vida.

Fantomas era honesto, mas não era besta. Entrava no ringue para jogar limpo. Jamais daria um karatê na testa de Teddy Boy Marino, por exemplo. E também não dava karatês em Aquiles, o Matador, desde que o juiz interviesse para impedir o celerado de aplicar golpes de corrente, enforcar nas cordas, jogar areia nos olhos, e coisinhas simpáticas desse tipo. Era obediente às regras, enfim, desde que HOUVESSE regras.

Acontece que quando Isidoro de Cária entrava no ringue, as regras entravam em férias. O sujeito chegava a pegar propina ali mesmo, no ringue, com os segundos do lutador mau. (O principal desses segundos usava um turbante de pirata na cabeça, e tinha um bigodão de português.... Pena que não me lembro do nome do sujeito.) Isidoro detestava Fantomas. Mais ainda do que os outros bonzinhos. Detestava-o porque, de vez em quando, se ele enchesse muito o saco e tentasse impedir a derrota de Aquiles a qualquer custo, Fantomas não hesitava em lhe dar uns petardos no meio da testa. Diversas vezes, o pobre Isidoro de Cária saiu carregado do ringue, nocauteado juntamente com o lutador mau que ele tentara proteger.

Revistava Fantomas de modo irritantemente minucioso. Mandava que ele desamarrasse as sapatilhas, Fantomas obedecia. Tinha que encostar-se nas cordas para levar uma "geral" humilhante, enquanto Aquiles, no outro lado do ringue, escondia uma pedra numa das mãos, para castigar o adversário. Fantomas, vendo aquilo, reclamava, e Isidoro ia cinicamente perguntar ao Aquiles se era verdade, ou não. Aquiles fazia que não com a cabeça, e Isidoro aceitava a palavra de honra do filho-da-puta.

Na hora da luta, não dava outra. Num dos rounds, Fantomas levava uma pedrada na testa, e quase perdia. No round seguinte, pegava o adversário pelos cabelos, sob os protestos de Isidoro de Cária, e perguntava ao público presente se eles aprovariam o uso do karatê naquela situação extrema. Eu, no colo do meu pai, pedia que ele mandasse as regras às favas, e acabasse logo com aquela palhaçada. Em poucos segundos, o corpão gorde de Aquiles desabava como uma jaca no tablado, para delírio da platéia.

O Brasil é Lula desde criancinha, Sassa... Foi uma delícia assistir, aqui da Bahia, à surra que Nine Fingers deu no cuzão ontem à noite. Nem precisou de karatê. Pimpinela caiu sob uma saraivada de dãblinélsons. Perfeitamente legais. Hehehehehe.....

MASSA DE MANOBRA

É gente humilde...

Muito bem, todos os políticos falam em nome do povo e a grande maioria deles defende o seu ou os seus. Povo é essencialmente massa de manobra. Perozzi acha o Bolsa Família do ninefingers uma maravilha, eu acho uma idéia de FHC que foi bem piorada e sempre digo, me dêem 5 a 10 anos e veremos o resultado. Em suma, o povo é massa de manobra eleitoral, é assim que seria tratado o Bolsa se fosse o FHC, tudo é uma questão de ângulo já disse o pessoal da Apolo XI.

As descobertas da PF no caso do dossiê mostram que o povo continua servindo perfeitamente a tudo o que a petistalha trama. Parte da grana para comprar o dossiê foi sacada por pessoas de uma família humilde da baixada fluminense. Nem sabiam o que estavam fazendo e devem ter feito por uma cesta básica. Como se deve classificar canalhas (isso é designação básica mínima, é daí para cima) que usam pessoas pobres e ingênuas para seus crimes?

 

Sopinha de Hospital II

Gêmeos, Mórbida Semelhança

PQP, será que estes dois senhores não têm aspones minimamente competentes para combinar a cor da gravata e dos ternos para os debates? No SBT ambos foram com terno marinho ou cinza escuro e gravata bordô (Clô para os íntimos a d o r o u!), hoje a mesma idéia. Estou desconfiado que algum vidente vendeu a mesma simpatia para os dois: vai de gravata bordô que é batata!

No caso do Geraldo, perdido por perdido, deveria ir de gravata verde e amarela e acusa o ninefingers de comunista roxo com esta gravata para lá de vermelha e de falta de patriotismo.

Até nisso esta campanha está paradaça. Exceto, como sempre digo, pela Dna. Lu. Ah, ela entre os populares esbanjando beleza e charme. E o Perozzi morre de ciúmes de minha primeira dama.

[ ver mensagens anteriores ]