Call Center 4

Dela eu compro até estrelinha do PT

Instituições Pilantrópicas (2)

2) Você está no trabalho

Essa é uma das mais difíceis. Vocês está empregado e lá se foi a principal saída. Esses malacos descobrem o nome da empresa e passam a ligar para todos os ramais dizendo que estão fazendo um trabalho especial de arrecadação de ajutórios (esta é lá do interior) dentro da empresa, as vezes até citam os nomes dos trouchas que já caíram.

Dureza pela frente, se você fala que a fase está difícil, ela baixa rapidinho o preço do leite importado e você, que ia pagar tudo (75 reais, suponhamos), já vira acionista de uma lata com, digamos, 30 reais. Você diz que a coisa está dura mesmo, ela baixa para 10 reais. Você insiste que nunca passou por momento tão difícil na vida, e ela baixa para 5 reais, ajuda simbólica, diz ela. Só falta dizer que qualquer pobre do cacete poderia dar isso, até você, seu miserável!

O problema é que se der 5 agora, abre a porteira e lá vem a boiada futura a encher o saco para o resto da vida. Você se mostrou um mole e será presa preferencial pelo resto da vida. Fique firme.

Quando chegamos aos 5 reais, ela no desespero faz qualquer coisa, aí eu mostro uma cenoura para ela me deixar em paz. Digo que tenho um amigo de trabalho que se disse que estava querendo ajudar instituições, mas que precisavam ser sérias. Ela salta da cadeira, babando de vontade de saber o ramal dele e ... eu dou o ramal de meu amigo Gian. Ela cai rapidinho. Entre insistir com um miserável que nem 5 reais que dar e tentar a sorte com um homem de coração comprovadamente cristão como o Gian, voluntário a ter a carteira batida, ela não titubeia e quase me manda à merda. Pronto, livre estava, livre estou.

Ok, cinco minutos depois o Gian me liga puto da vida. Sempre é assim. Você acha que eu não tenho mais nada para fazer? diz ele. Caio na gargalhada e a amizade fala mais alto.

Call Center 3

Alô, docura!!

Instituições Pilantrópicas

Neste caso, há duas soluções distintas, depende de onde você estiver quando atender ao telefonema.

1) Você está em Casa

Essa é moleza. Ouça com atenção ao monte de desgraça que ela vai lhe falar, mas cuidado, corações demasiadamente cristãos fraquejam. Fique firme que a dor passa. Perto da historinha rápida que ela lhe contou, sua vida é uma maravilha, não é verdade? Bate aquela culpa danada, você come três pratos de comida por dia (justamente como quer o ninefingers) e tem gente passando tudo aquilo. Ô, culpa!

Depois de toda a ladainha, mostre que você está tocado com história, se puder fique com a voz embargada. Dê uma parada, como se estivesse segurando as lágrimas, peça desculpas pelo silêncio inesperado e peça mais umas mil desculpas por não poder ajudar e mate a pau dizendo:

- Você sabe, eu queria muito poder ajudar, porque sei como é duro a vida das pessoas, mas é que estou desempregado há dois anos e até comida já falta aqui em casa, se não fosse a ajuda de meu tio e de uns vizinhos muito amigos eu não sei o que seria...

Ela vai ficar mais emocionada que você. Certa vez uma delas (de uma insituição séria) me disse:

- Olha, fique tranquilo que vamos colocar seu nome nas nossas orações semanais e logo o senhor estará empregado e se deus quiser, e ele há de querer, poderá então nos ajudar no futuro

(Pior: me ligou a cada dois/três meses por um ano, até a digníssima já sabia que era só dizer que o emprego ainda não tinha pintado. Vai rezar mal assim na casa do chapéu, pô!)

Call Center 2

Essa nunca me liga.

Banco

No caso do banco, também é fácil, espere ele falar pra caralho do mundo maravilhoso que é ter uma conta bancária. Só não dê seus dados. E lá no final conte sua história triste:

- Eu tenho muito interesse em abrir a conta, mas deixa eu contar uma coisa, para você me dizer se não é problema. Minha ex-empregada roubou uma folha de um talão de cheques de uma conta salário antiga que eu não movimentava mais e deu este cheque para pagar umas esquadrias de alumínio ou de ferro da casa dela. É, acho que era de alumínio mesmo, pois era bem caro. Bem, aí minha conta estourou, pois eu não fiquei sabendo, já que não movimentava mais essa conta e o cheque foi devolvido duas vezes. Isso já faz dois anos, não acho que dois anos e meio, pois me lembro que foi antes de minha viagem para Caldas Novas. Agora, estou na justiça tentanto provar que não tenho nada com isso e tirar meu nome do SPC, acho que nuns 3 meses já resolvo isso, segundo me falou o meu advogado Dr. Iventatori, muito bom advogado, por sinal. Veja que absurdo, não fui eu que dei o cheque, não foi eu que roubei o cheque, não fui eu que aceitei o cheque, nem fui eu que devolvi o cheque, mas fui eu que me dei mal com o cheque. Como você pode ver, eu não tenho nada a ver com isso, e queria mesmo abrir esta conta, pois no momento estou sem nenhuma conta...

- Pupupupupupu.....

Call Center 1

Liga pra mim. Não, não liga para ele, pra ele...

Confesso que tenho uma tremenda capacidade para inventar histórias verossímeis.Tenho amigos que até me ligam quando estão numa sinuca de bico para me pedir uma boa história, leia-se, uma boa desculpa.

Com o tempo fui criando saídas para estas malditas ligações de call centers, oferecendo celular, cartão de crédito, conta em banco, serviços profissionais de entretenimento adulto ou pedindo ajuda para a criancinha que esta com câncer e precisa de um leite importado que custa 150 reais só o rótulo.

Como não acho justo maltratar quem liga, com raras exceções, passei a brincar de gato e rato e me divertir com as ligações, tentar advinhar para que resposta o roteiro de ligação não tem uma saída.Eis alguma de minhas criações:

Cartão de Crédito

Fácil. Deixa ela falar de todas as vantagens, da maravilha que é ter um plástico belezura, gastar a dar com pau e quebrar em seguida. Depois de cumprido o roteiro, ela vai pedir para eu confirmar uns dados. Se confirmar, o risco é grande, mas eu adoro correr riscos. Finalmente, ela pergunta: para saber qual cartão melhor se adapta às suas necessidades (esta é uma palavra que galhou outro status ao longo do tempo, no passado era uma merda, hoje vale ouro, pois é tudo o que um consumidor precisa, muitas vezes sem ter necessidade), eu preciso estar sabendo qual sua renda.

Hurrááááá, fudeu. Diga, R$350,00 e sinta na linha o clima de tempo perdido com um pobre do caralho. Se ele aduvidar, diga que você só consegue comprovar esta renda. Bye, bye, blackbird!!!

Errei na Dose

Velharias: Plínio, o velho e Plínio, o velho. Enfim, Plínios velhos.

OK, confesso que queria trazer Perozzi de volta um pouco menos esquerdista, essa chatice que acomete a humanidade. Mas acho que exagerei na dose de conservadorismo. Eu só queria que ele aceitasse que o Marco Maciel pode ser algo mais que o mapa do Chile. Mas aí o cara sai da catacumba e vai na direção do ACM dizendo: mestre, mestre!!!

Definitivamente, estas minhas experiências revivantes não tem dado certo. Precisa acertar a mão. Nisso, reconheço, Cristo era bem melhor.

Pesadelos de Perozzi

Cacilda... Onde é que eu fui acordar? Cadê a minha grelha? Cadê aqueles diabinhos fantasiados de tucano que ficavam rindo da minha cara? E Belzebu, com aquela máscara de Sassaroli? Sumiu todo mundo???

Peraí... Isso aqui tá parecendo o quarto em que eu morava quando estava vivo... [OLHA PELA JANELA]

Caralho.... Olha o quarto do Sassaroli ali embaixo... Olha lá o tucano dele na gaiola.... Será possível? Eu tô de volta???

Mas, então, que porra esse cartaz reacionário está fazendo aí, pendurado na parede????

Quarto novo, vida nova

Pronto.... Um quartinho só prá mim. Agora, ninguém me segura...

Vou puxar um ronco, que eu tô cansado...

ANAUÊ, cambada!!!!!

Será que não tem um quarto vago no andar de cima?

Insuportável

Porra, meu... Não agüento mais esse retratinho na parede... Só queria saber o que eu, Juvenal Bustamante, estou fazendo aqui neste antro petista... Se o médico aí embaixo ao menos me desse uma luz... Mas é ainda mais doido que esse esquerdista nojento que morava por aqui...

Bustamante é obrigado a enfrentar os fatos...

Cazzo! Só dá Perozzi prá tudo quanto é lado... Eu escrevo, e é o nome dele que aparece ali embaixo... Epa... O que é isto aqui? Uma foto MINHA ao lado do médico maluco???? Mas só me faltava essa... Oh, você aí de baixo... Acorda aí, seu panaca... Quer me explicar de uma vez essa embrulhada? Eu te conheço, rapaz? Ah, sim, antes que eu me esqueça.... ANAUÊ!!!!

No coração de Bustamante...
Se esse médico maluco me chamar de Perozzi mais uma vez, vai levar porrada...
Operação Lázaro 3 (O Retorno Again)

O Povo aguarda Perozzi

A notícia da ressuscitamento de Perozzi se espalhou por São Paulo e o povo começou a se reunir em torno do empurra-empurra do Ibirapuera. Pergutar-me-ão os curiosos se Perozzi é tão amado assim. Acho que sim, ou é isso ou são cobradores de dívidas penduradas pelos bares da cidade.

 

Milhares no empurra-empurra para ver Perozzi

A aglomeração toma dimensões nunca vistas. O povo se acotovela, se espreme, se empurra-empurra só para ver Perozzi.

 

 

Lula manda a Guarda Nacional intervir

O presidente Lula, dizem as más línguas palacianas que mais por inveja do que por segurança, manda a gloriosa Guarda Nacional intervir na aglomeração do empurra-empurra (isso seria um pleonasmo?).

 

 

Até ele veio rasgando a reta para ver Perozzi.

 

Perozzi saúda o povo no Ibirapuera

Finalmente, depois de tanta espera, Perozzi sai do laboratório secreto do Prof. Sassaroli e saúda o povo que o aguarda com uma frase inesquecível:

- Arãrãrãrãrãrã babãbabãbabã. (convenhamos que houve uma puta evolução)

 

O povo recebe Perozzi

Povo é assim mesmo, um dia joga pedras, outro dia joga mais pedras. Mas com Perozzi é diferente, o povo é só elogios, vai entender.

 

Perozzi e a ex-viúva

Sucesso total na operação de ressuscitamento (!) de Perozzi. A foto acima prova que o canalha voltou a ser o mesmo. Tá por aí tragando feito um chaminé com a digníssima. A Souza Cruz agradece, como sempre, e o plano de saúde vai à falência.

 

 

Juvenal Bustamante

Cacete! Parece que o Reynaldo de Barros brincou de Fred Astaire em cima da minha cabeça.... Onde é que eu estou, hein? Que merda de blog é este? E que história é essa de me chamarem de Perozzi? Um petista, ainda por cima, pelo que está dizendo esse médico lunático aí de baixo... Alguém pode me explicar o que está acontecendo nesta porra???

Operação Lázaro 2 (O Retorno)

Perozzi ressuscitado: seguro morreu de velho.

Nos primeiros meses do pós-milagre, o ressucitado precisa passar por um período de adestramento. Passada a pior fase, ele é liberado e está preparado para ser o que bem entender: presidente da república, senador, prefeita, deputado, rpesidente da Camara, entrar no PC do B de Bosta, receber mensalão, guardar dólar na cueca e até não saber de nada, nem mesmo o que seu primogênito faz nesta vida louca. Com Perozzi não podia ser diferente, são normas e normas são normas.

 

Perozzi passa no derradeiro teste de normalidade.

Aplicados todos os testes, Perozzi mostrou-se apto à vida em sociedade. Em seu último teste, ele finalmente deixou de rir enquanto seu polegar pegava fogo. Bingo! Trabalho encerrado.

Operação Lázaro

Pelo seu celular blutruçi, Prof. Sassaroli recebe a notícia do falecimento do amigo Perozzi

Em plena mesa de cirurgia, o Prof. Sassaroli recebeu a notícia da morte de seu amigo, parceiro de blog e de bebedeiraso, o periodista Perozzi. Teve um treco, o mundo ficou de cabeça para baixo, de maneira que o Prof. transplantou o coração segundo o novo mundo que se lhe apresentava. A enfermeira Mathilde, a preferida de Sassa para as noites frias do hospital, o acompanhou até a casa do amigo, juntos também foram a instrumentadora Frida, sua preferida para as noites de calor do hospital, e seu braço direito na sala de cirurgia, ex-procurador em Brasília.

 

Sassa vai à toda em seu Calhambeque Bibi conversível para a casa do amigo

A Caminho da casa de Perozzi, o Prof. Sassaroli decide, apesar da opiniões contrárias, que não deixará o amigo partir desta para uma pior. E anuncia aos seus que irá reabrir seu laboratório de ressuscitações imediatas do primeiro grau. Não, é perigoso! grita o ex-procurador, agora braço direito de Sassa. Mas o Prof. está irredutível. Vai fazer de tudo para salvar o amigo.

 

Perozzi em seu leito mortífero

Prof. Sassaroli e sua trupe chegam a residência do amigo Perozzi.O amigo repousava calmamente em seu leito final. O ex-procurador em Brasília sente algo de estranho no ar e avisa: vou abrir um inquérito para apurar esta morte, toda morte tem uma causa mortis.

 

Viúva Perozzi triste da vida com o passamento do marido.

O ex-procurador em Brasília decide começar a investigação pela viúva. Afinal, as viúvas sempre têm culpa.

Pergunta o ex-procurador em Brasília:

- A senhora sente que tem alguma parcela de culpa pela morte de seu marido.

Responde a víuva, alegre:

- Olha, amor, a única parcela que tenho nisso tudo são mais 12 anos de BNH para pagar que esse desgraçado deixou, nem seguro de vida ele tinha. Tá, tudo bem, me deixou um maço de Marlboro e um isqueiro pela metade.

 

A trupe sassaroliana reunida para decidir sobre o amigo Perozzi.

Depois de pouca conversa, o Prof. Sassaroli avisa:

- Vamos reabrir nosso laboratório de reanimação!

E todos exclamam:

- Não, lembre-se dos problemas que tívemos com a família Suplicy!!!!

Frida grita:

- Eduardo recebeu pouca carga é ficou lerdão daquele jeito.

Mathilde por sua vez:

- Com Marta ia tudo às mil maravilhas até que a máquina de recauchutagem pifou e ... deus do céu o que é aquilo?

E o ex-procurador em Brasília avisa:

- Vamos abrir um inquérito contra a empresa de energia, isso é caso de código do consumidor.

De súbito o Prof. Sassaroli grita:

- Calem a boca, seu idiotas

 

Sassa começa a operação Desembucha Perozzi

Enquanto a viúva Perozzi se ocupa do BNH, a trupe sassaroliana desaparece com o defunto blogueiro e o leva para o laboratório de análises clínicas secretamente localizado embaixo da estátua empura-empura do Ibirapuera. Exames feitos, Prof. Sassaroli dá a ordem:

- Para a mesa de reanimação!

 

 

O desespero toma conta da situação

Depois de diversas tentativas frustadas, lembranças de outros fracassos rondam a mente do Prof. Sassaroli. Jânio, Médici, Collor, Severino, Aldo Rebelo (oh, isso é demais!), parem! parem! parem! grita o ilustre cirurgião maluco e tomado pelo desespero pega Perozzi pelo pescoço e grita:

- Seu grandissíssimo filho da puta, votou no Lula, no Lula, no Lula e agora deixa a merda toda para nós, né?????. Não! não! não! você não vai embora seu desgraçado, você não vai sair de fininho assim, não. Fica!!! Fica e agüenta mais quatro anos de ninefingers!!!!

 

Milagre: Perozzi ressuscitado

Perozzi levou tanta porrada do Prof. Sassaroli que o sangue voltou a circular e o ilustre periodista voltou a esta vida. Levantou-se, olhou nos olhos de cada membro da trupe sassaroliana e finalmente disse suas primeiras palavras desta segunda vida:

- Arrãrãrãrãrã....

 

Sassa e Perozzi: a amizade continua, também depois da morte

O grande cirurgião Prof. Sassaroli venceu mais uma batalha contra o destino. Hoje, salvou seu amigo de longa data, o periodista Perozzi. Mais um para sua coleção de ressuscitados.

Obituário

Perozzi está morto, velho Sassa. Definhou aos poucos, o coitado. Já não falava, não comia, nem beliscava o bumbum das enfermeiras. Tentei de tudo para trazê-lo de volta à vida. Cds do Orlando Silva, do Carlos Galhardo, do Franz Schubert, nada o fazia acordar novamente. Tentei fazê-lo assistir a algumas lutas de telecatch, mas sua cabeça pendia, sem forças. Pus um copinho de Cynar perto do seu nariz. Nada. Nem mesmo um filme da Cicciolina foi capaz de chamá-lo de volta à vida. Então, resolvi deixar o pobre canalha descansar em paz. Cavei um diretório, juntei todos os seus arquivos, e mandei salvar sua alma. Não acredito muito em salvação, você sabe, mas neste universo virtual tudo é possível. Quem sabe o filho-da-puta não se transformou num vírus, e vai sacaneá-lo, aí, mesmo depois de morto? Suas últimas palavras, ditas pouco depois do último post, há uma semana, foram "ciao, bruto". Não sei se foram dirigidas a você, ou a mim. Provavelmente, a nós dois.

[ ver mensagens anteriores ]