Nem acredito, Sassa. Consegui dar a minha aula até o meio. Quando a turminha do piquete me viu destrancando a porta e deixando os alunos entrarem, saíram para deliberar. Acho que foram consultar as obras completas de Trotski para saber como agir em situações como essa. O fascistão, aqui, aproveitou-se dessa bobeira nas hostes revolucionárias e tascou dois teoremas na lousa. Aí, entrou um carinha todo sorrisos (FOTO) e disse que tinha um "comunicado" para fazer aos estudantes. Apupos esparsos, clima de motim. Resolvi salvar a pele do infeliz, e disse que daria um intervalo. Uma hora, Sassa. Uma hora de "comunicado aos estudantes". E eu, o fascista Juvenal, lá fora, paciente, esperando. O dilema. Se você entra e discute, ele ganha, pois sua aula melou. Se fica lá fora, e não discute, ele também ganha, pois sua aula melou. Entrei. Aí, o clima esquentou. Os alunos dizendo para o cara ir embora. Ele dizendo que ainda não tinha acabado de falar. Eu, quieto no meu canto, à disposição dos acontecimentos. Aí, o sorridente ficou sério e saiu-se com esta: nas outras unidades, o piquete é violento, emprega a força física. Aqui, não. Somos democráticos. A força das idéias, sacumé? Ah, Sassa! Só uma chibatadinha, vai... 

 

Tribunal Eleitoral desaprova contas de campanha de Marta para prefeita (deu, opa!, mas foi  no site Última Instância)

Pô, Juva, falando em tabuada, você viu que as contas da Marta foram reprovadas?

Por falar nisso, você imagina o Senador BBBB (Bobão Babão) com a tabuada dos 9?

- Eduardinho, 9 x 7 é?

- Sôra, posso pedir a ajuda dos universitários?

Revolução da Chibata


Pior do que a invasão dos alunos, Sassa, é ver em que a televisão transforma aquela palhaçada. Estava tomando café, quando vi o pobre do Gabriel Cohn, devidamente editado, declarando que "a Adusp certamente irá apoiar o movimento". Quem ouve, e não sabe o que é a Adusp, nem quem é o Gabriel Cohn, pensa que (i) os estudantes devem ter lá suas razões, pois (ii) até esse senhor ponderado, diretor da FFLCH, apóia o movimento. Em seguida, puseram aquele vídeo safado, mostrando as salas inundadas. O apresentador gorducho casquetou um "assim não dá" a título de ponto final, e mudaram de assunto. O vídeo foi feito durante o temporal que botou metade de São Paulo debaixo d'água. Quem vê, pensa que os alunos têm que ir à escola de escafandro. Mentira. Foi um episódio isolado, e não tem nada a ver com deficiências na estrutura do prédio. O próprio Gabriel Cohn, aliás, pôs os pingos nos is numa entrevista para o Estadão. Ele não está apoiando a greve, nem a invasão, como a reportagem fazia acreditar. A rigor, nem os estudantes apóiam o movimento. Os líderes se valem dessa "democrassia de maça" na qual 30 gatos pingados decidem por todo mundo. Portanto, meu caro Sassa, Juvenal Bustamante, com o senso de justiça que lhe é peculiar, não aplicaria a chibata, neste caso, no lombo dos estudantes. O vergastado seria, isto sim, esse repórter gorducho (FOTO). Os estudantes seriam postos de castigo. Ao invés de desocupar a reitoria, Juvenal mandaria a PM não permitir a saída de ninguém. Quem quisesse sair, teria que dizer a taboada do oito sem hesitar na hora do 8x3, do 8x6 e do 8x7. Em alguns casos, creio que o castigo seria um pouco exagerado, pois equivaleria a uma prisão perpétua.

USP ladeira abaixo

 

Juva, pensando bem, já que você está querendo corrigir o mundo a chibatadas, bem que você poderia mandar aquele pessoal que invadiu a Reitoria da USP para o pelourinho.

O que é aquilo, meu velho. Como pode uma bando de porcos invadir uma dependência pública e ninguém faz nada. Que direção éessa que a USP tem? De mierda. Cada a noção de autoridade, desse ratos que dirigem a Universidade?

Aí vai um filminho feito pelo pessoal da Poli sobre a greve de 2005. Olha, sou a favor do Bolsa Família, sobretudo se me derem uma Louis Vuitton, mas isso deveria ser proibido para militantes profissionais, essa gente ainda afunda este país.

http://www.youtube.com/watch?v=5Mai4S36a4g

Sassa o reaça, não entende essa bagaça!

Juva, meu velho, eu era o conservador assumido deste blog e vivia feliz pra cacete. Aí me aparece você com essas idéias malucas, querendo chicotear até a mãe e me deixa virtualmente à esquerda. Confesso que me sinto desconfortável à esquerda de alguém, adoro ser um conservador chato que detona esses conceitos falsos e corretinhos da esquerda. A tchurminha está tão viciada em não discutir nada e repetir o lero-lero de sempre sobre tudo que é divertidíssimo fazer perguntas constragedoras e ver todo mundo gago.

Juvenal para vereador!

 

O ultradireitista Juvenal Bustamante lança aqui seu plano para financiar o Bolsa Família que irá (finalmente!) legitimar o azorrague sem culpa no lombo da bandidagem. Em praça pública, conforme já expliquei, com a criançada do primeiro grau cantando o hino nacional antes do início da sessão.

Enéas não morreu!


O pacto é o seguinte: pena de morte, sim, mas com Bolsa Família à vontade. Eis a nova direita, Sassa. Para desentupir as cadeias, preconizo a volta do pelourinho e da chibata. Em praça pública, educando a petizada. Duvido que alguém tenha um bom argumento contra a forca, o pelourinho e a chibata. O nó da questão é o seguinte: todo castigo tem que ser cruel e degradante. Se não, não é castigo. Mas até mesmo para dar uma palmadinha no bumbum, Fulano tem que ter moral prá tanto, não tem, não? Sabe aquele pai bebum, dando bolacha no filho? Pois o Estado brasileiro é isso, meu velho. Não tem moral nem prá dar tapinha no bumbum. Então, moraliza o castigo. Querem recuperar o preso, sacumé? Como se a cadeia fosse feita prá ele, e não prá todo mundo que ficou lá fora. Babaquice. Castigo serve para deixar as pessoas morrendo de medo, dissuadindo-as de fazer fora do penico. Pelourinho, chibata e garrote vil. Assim é que deveria ser. Mas, pelo amor de Deus, Sassa. Com Bolsa Família à vontade para quem não tiver onde cair morto. Porque, se não for assim, o bandido tá certo, meu caro. Viva o Lula do Bolsa Família! E viva o Enéias da chibata! Anauê, Sassa!

Suplicy: Senador por São Paulo

Até para ele deveria haver limites 

Eu bem que preguei aqui o voto em Guilherme Afif para Senador. Antes de mais nada, porque Suplicy já encheu o saco com seu tipo bobão babão, com suas posições políticas esdrúxulas. A defesa da libertação dos sequestradores de Abílio Diniz foi a pior de todas. E seus seguidores vivem reclamando, e com razão, do péssimo hábito de nossa elite de dar um jeitinho para relaxar as punições dos seus pares. Ou a elite e a esquerda não estavam fazendo a mesma coisa? Pega leve que ele é dos nossos!

Bem, na discussão sobre a redução da maioridade penal, Suplicy deu um vexame. Teve senador que ainda aplaudiu. Faz sentido, já que o Congresso não parece preocupado em passar a imagem de circo... de horrores. Só se salvou o Senador Jefferson Peres, único que não achou graça do bobo-mor da corte brasiliense. Peres, aliás, já anunciou que depois deste mandato, não volta mais.

 

http://www.youtube.com/watch?v=BNHUsv7qWLo

 

[ ver mensagens anteriores ]