Roubo do MASP 3

                      

Já que o roubo escancarou a péssima administração do Júlio Neves, o Hugo Chavez dos museus tupiniquins, proponho uma mudança em família, a la Argentina, sai o Júlio entra a sua filha Cecília.

                                         

Sai daí, Júlio!

  

Bievenue, mademoiselle!

Tá, do ponto de vista administrativo deve piorar, mas a "questão do processo do enfrentamento do desafio representado pela estética museológica contemporânea da pós-modernidade em si e per si" vai ter um upgrade do carralho. Ou não?

Roubo no MASP 2

                       

Enquanto isso no Restaurante do MASP:

- Putz, cê viu que roubaram dois quadros do MASP?

- Cara, isso é a maior moleza do mundo.

- Como assim? A segurança é tão ruim?

- Que nada! Os larápios tem "o maior vão livre do mundo" para fugir.

Roubo no MASP 1

                                                                    

Divertidíssima este roubo do MASP (não é mais trágico já que acharam os quadros). Meio mundo criando teorias mirabolantes, destinos longínquos, falando em trabalho de profiças, cheguei a pensar que era um trabalho do verdadeiro ladrão de casaca. Dava a impressão de que os bobalhões que administram o MASP queriam livrar a própria cara vendendo a estória de um roubo  internacional sofisticado.

Numa única coisa os teóricos acertaram, de fato os quadros já estavam no leste, não no Leste europeu, mas na ZL, a nossa gloriosa Zona Leste.

[ ver mensagens anteriores ]